O mistério do sono

Após um dia cansativo, nada melhor do que chegar em casa, pular na cama e tirar aquele sono até o dia raiar! Uma noite bem dormida faz a gente se sentir ’novo’: mais atento, saudável e de bom humor. É no sono que recuperamos as energias, e não é à toa que passamos cerca de um terço de nossa vida dormindo.

Uma noite sem sono diminui os reflexos e reduz a capacidade de raciocínio e concentração. Se passar dois dias acordada, a pessoa pode ter dores no corpo, zumbidos e esquecimento. Após cinco dias sem dormir, ela começa a agir de modo estranho, tem a sensação de estar sendo perseguida e sofre alucinações (acha que está vendo ou ouvindo coisas). Experiências com animais mostraram que eles morreram após um mês sem dormir.

Há dois tipos de sono: o sono REM ( rapid eye movements = movimentos rápidos do olho) e o sono não-REM. O sono REM é aquele no qual acontecem os sonhos e corresponde a 25% do tempo em que dormimos. O coração e a respiração ficam mais rápidos e o cérebro trabalha bastante durante esse sono. No entanto, os músculos permanecem relaxados. O sono REM tem relação direta com a memória. Por isso, é mais fácil memorizar dados antes de dormir do que depois de acordar.

Sonhos
O sono REM é também chamado de sono dos sonhos. Apenas durante esse sono os sonhos acontecem. Pesadelos e sonhos têm a ver com nossas vivências. Por exemplo, se vamos a um piquenique e a toalha é invadida por formigas, podemos ter pesadelos com formigas gigantes ou sanduíches de formigas. Ao ser acordada, uma pessoa que está dormindo o sono REM é capaz de lembrar os sonhos que teve.

O sono não-REM ocupa 75% da nossa noite e se divide em quatro estágios de profundidade. O estágio 1 é o mais leve, e o 4, o mais pesado. O estágio 2 ocupa a metade do tempo em que dormimos. Geralmente, uma noite de sono de um ser humano se inicia no sono não-REM, passa do estágio 1 até o 4 e depois retorna ao estágio 2, para então entrar no sono REM. Essa seqüência tende a se repetir de cinco a seis vezes durante a noite.
O sono é importante para o organismo descansar. Mas muitas pessoas têm problemas para dormir. Os distúrbios do sono são divididos em três grupos: insônias, parassonias e hipersonias. Em geral, a insônia (falta de sono) é provocada pela falta de ar. Mas fatores emocionais (tristeza, preocupação, ansiedade etc.) também estão ligados ao problema.

As parassonias são perturbações do sono. As mais freqüentes são o sonilóquio (falar dormindo), pesadelos, terror noturno (gritar e chorar dormindo), sonambulismo (agir inconscientemente durante o sono), fazer xixi na cama e bruxismo (ranger os dentes enquanto dorme). Já a hipersonia é o resultado de noite mal dormida. A pessoa fica com muito sono durante o dia.

Para ter um sono saudável, não durma além do necessário. Prolongar o sono pode prejudicar a noite seguinte. Estabeleça horários regulares para dormir e acordar. Não pratique exercícios à noite e mantenha a temperatura do quarto amena. Coma pouco antes de dormir, pois o funcionamento do corpo é mais lento durante o sono. À noite, evite tomar café, chás escuros e refrigerantes que contêm cafeína, substância que tira nosso sono.

Várias teorias tentam explicar a importância do sono. Na década de 20, acreditava-se que no sono o cérebro repousava. Mas estudos provaram que o sistema nervoso trabalha bastante durante alguns estágios do sono. Há cerca de 65 anos, um cientista sugeriu que o sono servia para eliminar substâncias tóxicas acumuladas pelo corpo quando estamos acordados. Outros cientistas acreditam que a função do sono é limpar a nossa cabeça de informações desnecessárias e organizar as úteis.

Matéria publicada em 09.11.1995

COMENTÁRIOS

Envie um comentário

Suely-Roizenblatt

CONTEÚDO RELACIONADO

Um mergulho com os peixes

Acompanhe o final da aventura de Rex, Diná e Zíper e suas descobertas no fundo do mar.

Rex, Diná e Zíper em…

Um lanchinho para os peixes. É correto alimentar esses animais na natureza?