Mulher das galáxias

Imagine que você é astrônomo: um cientista que estuda os astros. Hoje sua missão é observar uma galáxia. Com um mapa do céu e um telescópio, você analisa esse conjunto de estrelas, poeira e gás. Até que nota um ponto brilhante ali perto, que não está no mapa. Ao investigá-lo, surpresa: encontra algo que ninguém havia visto antes!

Foi assim que a astrônoma brasileira Duília de Mello – que trabalha na Nasa, a agência especial norte-americana – descobriu uma supernova: um corpo celeste que surge após a explosão de uma estrela. Em um livro que acaba de chegar às livrarias – chamado Vivendo com as estrelas –, ela conta a história dessa descoberta e também fala sobre sua trajetória, inspirando quem sonha em ter a astronomia como profissão.

De olho no céu

Desde pequena, Duília passava horas observando o céu. Curiosa, tinha várias dúvidas sobre os astros. “Mas, quando eu era criança, não tinha acesso à internet. Então, só conseguia informação na escola, em revistas e livros. Era pouca coisa e eu queria saber mais”, diz. Foi, então, que ela decidiu ser astrônoma.

Para seguir essa profissão, porém, Duília precisou de dedicação, além de curiosidade. Afinal, um astrônomo estuda bastante matemática e física. Mas o esforço teve resultado. Aos 32 anos, a brasileira já era especialista em astronomia extragaláctica: área que estuda outras galáxias além da nossa, a Via Láctea.

Descobertas espaciais

Além de ter encontrado uma supernova em 1997, Duília fez outra descoberta importante em 2008. Ela foi a primeira pesquisadora a encontrar estrelas que se formam fora de galáxias: as chamadas bolhas azuis. Isso mostrou que esses astros podem surgir no meio do nada e não só dentro de galáxias, como se achava antes.

Duília de Mello e uma miniatura do telescópio espacial James Webb (foto: Tommy Wiklind).

No vídeo a seguir, em uma visita ao Instituto Ciência Hoje, sede da CHC On-line, Duília conta um pouco mais sobre o seu trabalho. Esse, aliás, também é um tema do livro Vivendo com as estrelas. Ao lê-lo, você vai descobrir como a brasileira chegou à Nasa e, de quebra, encontrar muitas informações sobre o universo. Tudo sem precisar ir ao espaço, mas apenas até a livraria mais próxima!

 

Matéria publicada em 09.11.2009

COMENTÁRIOS

  • Anna Elise

    Que legal!Agora estou imaginando eu, sentada em uma cadeira observando as constelações com um telescópio!

    Publicado em 25 de agosto de 2018 Responder

Envie um comentário

admin

CONTEÚDO RELACIONADO

Um mergulho com os peixes

Acompanhe o final da aventura de Rex, Diná e Zíper e suas descobertas no fundo do mar.

Rex, Diná e Zíper em…

Um lanchinho para os peixes. É correto alimentar esses animais na natureza?

Open chat