Gigante brasileiro

Se você mora no Rio de Janeiro, já viu aqueles ônibus duplos e articulados do sistema de transportes BRT. Acha que eles são grandes? Pois o titanossauro Austroposeidon magnificus, recém-divulgado por paleontólogos brasileiros, era maior ainda: media 25 metros de comprimento. Ele foi nada menos que o maior dinossauro já descoberto no Brasil!

Vários dinossauros brasileiros, do menor para o maior: <i>Gondwanatitan faustoi</i> (8 metros), <i>Maxakalisaurus topai</i> (13 metros) e <i>Austroposeidon magnificus</i> (25 metros). (ilustração: Maurílio Oliveira/ Museu Nacional/ UFRJ)

Vários dinossauros brasileiros, do menor para o maior: Gondwanatitan faustoi (8 metros), Maxakalisaurus topai (13 metros) e Austroposeidon magnificus (25 metros). (ilustração: Maurílio Oliveira/ Museu Nacional/ UFRJ)

Seus fósseis foram encontrados em 1953 próximo à cidade de Presidente Prudente, no estado de São Paulo, por um morador local. Na época, passava por ali o paleontólogo gaúcho Llewellyn Ivor Price (1905-1980), um dos pioneiros nessa área de pesquisa no Brasil. Avisado do achado, ele coletou grande parte do material e levou-o ao Museu de Ciências da Terra, no Rio de Janeiro. Mas a identificação do dinossauro só veio a público em 2016, quando os pesquisadores afirmaram se tratar de uma espécie ainda desconhecida da ciência.

Os titanossauros dominaram todo o supercontinente Gondwana, que, milhões de anos atrás, reunia as massas continentais que hoje formam América do Sul, África, Índia, Antártica e Austrália. A. magnificus tinha parentes, por exemplo, na vizinha Argentina, como o Futalognkosaurus e o Mendozasaurus, que também eram gigantes.

A descrição do novo dinossauro foi feita com base apenas em alguns ossos, como vértebras do dorso do animal. (foto: Kamila Bandeira)

A descrição do novo dinossauro foi feita com base apenas em alguns ossos, como vértebras do dorso do animal. (foto: Kamila Bandeira)

No Brasil, já foram descritas cerca de uma dezena de espécies de titanossauros, mas nenhuma era tão grande. Como é comum quando se fala em dinossauros gigantes, a descrição do Austroposeidon não foi feita com base em um esqueleto completo, mas apenas em alguns ossos: vértebras do pescoço e do dorso do animal, que, embora meio danificadas pelo tempo, revelaram detalhes importantes que permitiram diferenciá-lo de outros titanossauros.

Matéria publicada em 28.11.2016

COMENTÁRIOS

Envie um comentário

Alexander Kellner

É paleontólogo e já esteve em expedições para algumas das áreas mais remotas do planeta, como Antártica e desertos no Irã e na China. Adora ler tudo o que encontra sobre dinossauros e outros fósseis.

CONTEÚDO RELACIONADO

Um mergulho com os peixes

Acompanhe o final da aventura de Rex, Diná e Zíper e suas descobertas no fundo do mar.

Rex, Diná e Zíper em…

Um lanchinho para os peixes. É correto alimentar esses animais na natureza?