Fantástico mundo indígena

Os índios Kayapó são tema de uma exposição em cartaz no Pará (foto: Henry Salgado).

Cada grupo indígena tem festas, crenças e costumes próprios. Por isso, quanto mais sabemos a seu respeito, mais há o que descobrir! Então, se você mora em Belém, que tal visitar, no Museu de História do Estado do Pará, uma exposição sobre os índios Kayapó? O quê? Você vive longe da capital paraense? Não tem problema: embarque com a CHC em uma viagem ao mundo desses índios, que habitam a Amazônia!

Pode me chamar de Kayapó

Antigamente, os índios Kayapó não se chamavam assim. Seu nome era Mebêngôkre, que significa “o povo entre as águas”. “Eles habitavam uma região entre dois rios antes de terem que escapar da colonização e se deslocar para a floresta”, conta a antropóloga Pascale de Robert, uma das curadoras da exposição em cartaz no Pará. Os grupos inimigos é que chamavam esses índios de Kayapó, que significa “homens semelhantes a macacos”, por causa de rituais em que eles utilizavam máscaras desses animais. Hoje em dia, o povo se denomina tanto Kayapó quanto Mebêngôkre.

Os Kayapó recebem vários nomes diferentes ao longo da vida (foto: Bepunu Kayapó/IRV).

Um buraco no céu

Os Kayapó contam que o mundo foi descoberto por um caçador de tatu. Isso mesmo! Os seres humanos moravam no teto do céu. Um dia, um guerreiro cavou um buraco para caçar um tatu. Ele furou o teto do céu e descobriu um lindo mundo abaixo dele: a Terra! A aldeia, maravilhada com o rio e a floresta, fez uma corda e começou a se mudar para a nova casa. Mas a corda se partiu. Hoje, quando olhamos para o céu, vemos as pessoas que ficaram por lá na forma de estrelas.

Nomes comuns e bonitos

Mesmo com apelidos e diminutivos, seu nome é o mesmo desde que você nasceu, não é? Já os Kayapó recebem vários nomes durante a vida, alguns “comuns” e outros “bonitos”, esses últimos adquiridos durante grandes cerimônias que são festas espetaculares, conta Pascale de Robert. Nelas, os índios fazem caçadas coletivas, cantam, dançam e enfeitam o corpo com pintura de jenipapo e adornos feitos de plumas. Eles também recebem parentes e amigos de diferentes aldeias e oferecem comida farta.

 Encontro marcado no museu

Gostou de saber um pouco mais sobre os Kayapó? Pois isso é apenas um pouquinho do que a exposição em cartaz no Pará apresenta. Para você ter uma ideia, até os próprios índios vão marcar presença na mostra em alguns dias. Uma oportunidade e tanto para conhecer melhor esse povo da floresta, não é mesmo?

Exposição Kayapó – “Nossa Terra Mebêngôkre”
Até 18 de outubro. Diariamente, das 9 às 18h. Grátis!
Salão Transversal do Museu de História do Estado do Pará. Palácio Lauro Sodré, Praça D. Pedro II, Cidade Velha, Belém/ PA.

Matéria publicada em 13.10.2009

COMENTÁRIOS

  • Ataide Pereira Silva Dos Santos

    Boa tarde aos nativos da terra quando Pedro Álvares Cabral chegou ao Brasil encontrou os como habitantes. Um grande abraço a todos e todas étnias.

    Publicado em 29 de junho de 2018 Responder

  • rert

    Gostei da notícia,na minha opinião podiam ter mais lendas mas gostei da parte dos rituais, eu adoro essa comunidade

    Publicado em 25 de agosto de 2021 Responder

  • rert

    Gostei da notícia,na minha opinião podiam ter mais lendas mas gostei da parte dos rituais, eu adoro essa comunidade indigena

    Publicado em 25 de agosto de 2021 Responder

Envie um comentário

Tatiane Leal

CONTEÚDO RELACIONADO

Um mergulho com os peixes

Acompanhe o final da aventura de Rex, Diná e Zíper e suas descobertas no fundo do mar.

Rex, Diná e Zíper em…

Um lanchinho para os peixes. É correto alimentar esses animais na natureza?

Open chat