Energia solar: uma solução eletrizante!

Xiii! A lâmpada apagou, sumiu a imagem da TV e a água do chuveiro está um gelo. O que será que aconteceu? Ora, acabou a eletricidade. Agora não tem jeito… Senta e espera ela voltar! Aposto que você não ficou tão conformado e está aí no escuro tentando imaginar se não há outra forma de a lâmpada acender e de a TV funcionar. Vou te dar uma pista: a solução vai brilhar no céu amanhã de manhã!

Não é só para você pegar aquele bronzeado quando vai à praia que o Sol existe. É ele que nos dá a luz e o calor, sem os quais não haveria vida no planeta. Vejamos as plantas na fotossíntese: para crescer, dar flores e frutos, elas precisam da luz solar para produzir o oxigênio (que respiramos) a partir do gás carbônico (que elas respiram).

O homem não faz fotossíntese, mas ao longo dos anos, aprendeu a tirar proveito do Sol para tornar sua vida confortável. Descobriu, por exemplo, que casas de paredes brancas deixam o ambiente mais iluminado. Os primeiros homens usavam fontes de luz naturais, como o fogo e o próprio Sol. Com o passar dos séculos, foram inventadas outras formas de iluminação artificiais, embora quase todas elas venham, de uma certa maneira, da energia que o Sol tem enviado à Terra ao longo de milhões de anos. É o caso da lâmpada, que dá a chamada luz elétrica. Ao ligar o interruptor para acender uma lâmpada, você está fazendo passar por ela uma corrente elétrica.

Com essas e outras novidades, o homem passou a se preocupar menos em aproveitar o Sol. Observando os edifícios modernos, vemos que a maioria deles passou a depender mais da iluminação artificial.

Quando o Sol ilumina e aquece a gente, está enviando energia — a energia solar. Esta pode ser transformada em outros tipos de energia, como a energia elétrica, que gera a eletricidade necessária para acender a lâmpada. No Brasil, a energia solar é abundante, embora não seja suficiente para atender diretamente as necessidades do dia-a-dia de uma cidade. Mas há situações em que a energia solar pode ser usada com grande vantagem. Veja só os exemplos a seguir.

Para a água do banho soltar aquela fumacinha é comum usarmos um chuveiro elétrico ou um aquecedor a gás. Mas, em muitas regiões do país, onde faz muito calor, o Sol pode servir para esquentar a água.

Um tubo leva a água do reservatório de água fria para as placas coletoras. Essas placas, aquecidas pelos raios solares, esquentam a água que passa pelos tubinhos dentro delas. Essa água vai para o reservatório de água quente, onde fica guardada, pronta para você tomar aquele banho gostoso

Existem várias formas de construir um aquecedor solar de uso residencial. Em geral, o modelo mais usado no Brasil é feito de placas especiais, chamadas coletores solares, e de duas caixas d’água (uma para armazenar a água quente e outra para a fria). Normalmente, as placas coletoras são feitas de cobre ou alumínio e cobertas por vidro. Também podem ser de plástico. O reservatório de água quente deve estar protegido por algum material que conserve o calor, como o isopor, por exemplo.

Agora, para gerar eletricidade a partir do sol é necessário outro tipo de placa solar, chamada de painel fotovoltaico. Ele é feito com materiais capazes de converter a energia do sol em eletricidade, que pode ser utilizada nas casas diretamente ou armazenada em baterias para usar à noite, por exemplo. Viu como a luz que vem do nosso Sol pode ser útil para iluminar nossa vida?

Matéria publicada em 07.10.1996

COMENTÁRIOS

  • Anna Elise

    Sim , adorei saber que o Sol nos ajuda muito!

    Publicado em 7 de janeiro de 2019 Responder

Envie um comentário

Gilberto-De-Martino-Jannuzzi

CONTEÚDO RELACIONADO

Um mergulho com os peixes

Acompanhe o final da aventura de Rex, Diná e Zíper e suas descobertas no fundo do mar.

Rex, Diná e Zíper em…

Um lanchinho para os peixes. É correto alimentar esses animais na natureza?