Defesa barulhenta

A mariposa-tigre (Bertholdia trigona) produz um som que interfere no mecanismo usado por um tipo de morcego para localizar suas presas. Assim, mantém-se a salvo desse animal (fotos: William Conner e Nickolay Hristov).

Imagine a cena: um morcego voa à procura de alimento, de preferência uma mariposa, para saciar sua fome. Com a escuridão da noite, o animal precisa utilizar seu sonar biológico, que emite sinais de alta frequência, e o ajuda a localizar a presa. Ele prepara o ataque. Até que a mariposa emite um ruído e… afasta o predador! Mas como será que esse som consegue defender o inseto de um ataque?

Cientistas descobriram que o ruído produzido pela mariposa-tigre (Bertholdia trigona) interfere no sonar dos morcegos-marrons-gigantes (Eptesicus fuscus), detendo imediatamente o ataque deles. “É a primeira vez que conseguimos demonstrar que um animal pode perturbar o sonar de outros para se defender”, contou à CHC on-line Aaron Corcoran, um dos pesquisadores que participaram do estudo, divulgado nesta semana na revista americana Science (Ciência, em português).

Vídeo mostra morcegos-marrons-gigantes tentando capturar mariposas-tigre dentro de um quarto escuro. Os insetos são os pequenos pontos brancos nas imagens (crédito: Science/AAAS).

Morcegos sem direção

Aaron e seus parceiros montaram um experimento em que morcegos e mariposas compartilharam o mesmo quarto. Alguns dos insetos tiveram a parte do corpo responsável pela produção de som retirada. Foi então que os cientistas perceberam que os morcegos preferiam as presas silenciosas, enquanto as barulhentas quase nunca eram atacadas (clique na tela acima e veja o vídeo).

As mariposas que não emitiam som eram devoradas pelos morcegos, o que provou aos pesquisadores que, para os mamíferos alados, esse inseto tem um sabor interessante. Portanto, o som emitido em condições normais pela espécie não servia como um alerta aos predadores de que a mariposa apresentava um gosto que poderia não ser agradável a eles. Esse ruído também não assustava os morcegos, perceberam os cientistas. Por quê? Porque esses animais se habituam rapidamente a barulhos e, no experimento, tanto morcegos jovens – desacostumados com o som das mariposas – quanto adultos – que já conheciam o ruído – deixavam de atacar o inseto.

Diante disso, a conclusão não poderia ser outra: o ruído das mariposas só poderia atrapalhar o sonar dos morcegos, o que diminui a exatidão com que o animal determina a distância do alvo. Vale lembrar que esses sons não são captados pelo ouvido humano e só podem ser escutados por nós se forem captados por equipamentos especiais. De qualquer forma, não deixa de ser incrível perceber como os animais conseguem desenvolver os mais diferentes mecanismos para se defender!


Matéria publicada em 16.07.2009

COMENTÁRIOS

Envie um comentário

Julia Faria

CONTEÚDO RELACIONADO

Um mergulho com os peixes

Acompanhe o final da aventura de Rex, Diná e Zíper e suas descobertas no fundo do mar.

Rex, Diná e Zíper em…

Um lanchinho para os peixes. É correto alimentar esses animais na natureza?

Open chat