Parque Nacional de Itatiaia

Não é novidade que as florestas brasileiras vêm sendo destruídas desde que o país foi descoberto pelos europeus, há mais de 500 anos. Mas a preocupação com a preservação dos recursos naturais no Brasil é quase tão antiga quanto sua exploração. Você sabia?

Já no século 18, por exemplo, foi criado no Brasil colônia o cargo de Juiz Conservador das Matas. Documentos daquela época também comprovam a preocupação da Coroa portuguesa com a conservação da Mata Atlântica, como uma Carta Régia de 1797, que afirma ser “necessário tomar todas as precauções para a conservação das matas no Estado do Brasil, e evitar que elas se arruinem e destruam […]”. Viu?

Criado há 80 anos, o Parque Nacional de Itatiaia foi a primeira área de preservação ambiental do Brasil. Ele faz parte do complexo de montanhas da Serra da Mantiqueira, onde riachos recortam as florestas tropicais formando paisagens belíssimas. (foto: Ferreiraandreza/ Wikimedia – CC BY-SA 3.0)

Criado há 80 anos, o Parque Nacional de Itatiaia foi a primeira área de preservação ambiental do Brasil. Ele faz parte do complexo de montanhas da Serra da Mantiqueira, onde riachos recortam as florestas tropicais formando paisagens belíssimas. (foto: Ferreira andreza/ Wikimedia – CC BY-   SA 3.0)

Infelizmente, essas ideias conservacionistas demoraram ainda muitos anos para serem levadas a sério. Por esse motivo, grande parte da Mata Atlântica original foi destruída, tendo que ceder espaço para as cidades, indústrias e fazendas. Somente no século 20 começamos a perceber a importância de se preservar os trechos que restaram dessa exuberante floresta brasileira.

Foi então que, há exatos 80 anos, uma grande área da Mata Atlântica foi escolhida para a criação do primeiro parque nacional do Brasil: o Parque Nacional de Itatiaia, localizado na parte sul da divisa entre os estados do Rio de Janeiro e Minas Gerais. Hoje, ele protege um trecho importante do conjunto de montanhas conhecido como Serra da Mantiqueira.

O Pico das Agulhas Negras (ao fundo), um dos pontos mais altos do Brasil, está localizado no Parque Nacional de Itatiaia. (foto: Aisse Gaertner/ Wikimedia – CC BY-SA 4.0)

O Pico das Agulhas Negras (ao fundo), um dos pontos mais altos do Brasil, está localizado no Parque Nacional de Itatiaia. (foto: Aisse Gaertner/ Wikimedia – CC BY-SA 4.0)

Uma das principais características do parque é o seu relevo. Itatiaia é um termo indígena que significa algo como “pedra com pontas”. O parque ganhou esse nome por causa dos muitos picos daquela região. No parque, encontra-se, por exemplo, o Pico das Agulhas Negras, um dos mais altos do Brasil, com 2.800 metros de altitude. Nessas partes mais altas do parque, a floresta dá lugar à vegetação rasteira, chamada de campos de altitude, onde o inverno é tão rigoroso que pode fazer temperaturas de até menos 10 graus durante a noite! Logo abaixo, extensas áreas de floresta tropical, com vegetação exuberante, cercam o parque.

A região do Parque Nacional de Itatiaia apresenta muitas plantas que só existem na Mata Atlântica, como esta bromélia (<i>Fernseeaitatiaiae</i>), uma espécie ameaçada de extinção. (foto: Ricardo Moura/ Flickr – CC BY 2.0)

A região do Parque Nacional de Itatiaia apresenta muitas plantas que só existem na Mata Atlântica, como esta bromélia (Fernseea itatiaiae), uma espécie ameaçada de extinção. (foto: Ricardo Moura/ Flickr – CC BY 2.0)

Da combinação de serras e florestas o que acontece, geralmente, é a existência de água em abundância. São tantos riachos, cachoeiras e piscinas naturais que o Itatiaia ficou conhecido como “castelo de águas”. Um castelo que abriga outra riqueza impressionante: cerca de 1.500 espécies de plantas, 5.000 insetos, 50 mamíferos e 400 aves! Aliás, o parque é um dos melhores locais para a prática do turismo de observação de aves em todo o mundo!

O sapo-flamenguinho (<i>Melanophryniscusmoreirae</i>) é o animal símbolo do Parque Nacional de Itatiaia. Pouco maior que uma moeda de 1 real, esse sapinho canta durante o dia e possui na pele toxinas que ele obtém a partir das formigas e ácaros de que se alimenta e que se transformam na cor vermelha de sua barriga. (fotos: Leandro Drummond)

O sapo-flamenguinho (Melanophryniscus moreirae) é o animal símbolo do Parque Nacional de Itatiaia. Pouco maior que uma moeda de 1 real, sua barriga vermelha é um sinal de alerta para predadores. (fotos: Leandro Drummond)

Parabéns ao Parque Nacional de Itatiaia por seus 80 anos! Parabéns também a todos aqueles que lutaram pela criação desta e de todas as outras áreas de preservação do Brasil!

Matéria publicada em 17.10.2017

COMENTÁRIOS

  • LARA VALENTE AMARAL

    Divinópolis, 07 de junho de 2018

    Olá revista Ciência Hoje Das Crianças meu nome é Lara, tenho 10 anos, e adorei a matéria sobre o Parque Nacional do Itatiaia.
    Eu gostei muito porque meu pai já foi lá trinta e uma vezes para escalar o Pico das Agulhas Negras e com esta matéria eu entendi e aprendi um pouco da vida dele e da importância de ter as áreas de preservação ambiental no Brasil.
    Eu achei interessante a parte de que nas montanhas mais altas a temperatura é baixa no inverno e os lagos congelam.
    Eu achei legal e muito interessante essa matéria porque as crianças vão ficar curiosas e quererem descobrir mais.
    Eu tenho uma sugestão de matéria que vocês poderiam escrever, que é a vida de um escalador!
    Muito obrigada pela compreensão de todos vocês!Tchau!
    Assinatura:Lara Valente Amaral .

    Publicado em 7 de junho de 2018 Responder

  • Taymuor Faissal Abu Safa

    Olá, eu sou o Taymuor,
    A revista que vocês escreveram está muito boa, mas podiam acrescentar mais coisas como há muitas espécies ameaçadas de extinção como: lobo- guará, leão- branco, há mais de 400 espécies de aves e muito mais animais.
    Os elefantes. são os maiores animais mamíferos do mundo?
    A revista está de parabéns por que ela explica como preservar a natureza, não desmatar, não matar animais.

    Publicado em 14 de junho de 2018 Responder

  • LUCAS CORTES CARNEIRO OSORIO

    Bom dia! Sou lucas Cortes e gostei muito de seu artigo. Acho muito importante falar sobre assuntos como esse, para que todos tenham consciência da importância de preservar o meio ambiente.

    Publicado em 18 de junho de 2018 Responder

Envie um comentário

Vinícius São Pedro

Sou biólogo e, desde pequeno, apaixonado pela natureza. Um dos meus passatempos favoritos é observar animais, plantas e paisagens naturais.

CONTEÚDO RELACIONADO

Pequenos notáveis

Conheça os peixes criptobênticos!

Descoberta por acaso

Uma nova espécie de peixe da Amazônia