Cientistas também brincam de comidinha

Cardápio do almoço: macarrão de banana, sopa em pó de piranha e feijão instantâneo. Achou estranho? Pois é o que cientistas acabaram de inventar! A sopa em pó de piranha foi criada no Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa), o feijão instantâneo, na Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) e o macarrão de banana foi estudado na Universidade de São Paulo (USP).

Quer saber como são produzidos todos esses alimentos? Então, anote: o macarrão de banana ‐ ou macanana ‐ é fabricado a partir da polpa de banana verde. “Ele não leva ovo e tem muito menos farinha do que o tradicional”, explica a nutricionista Magda Taipina, da USP. Segundo ela, esse alimento faz muito bem à saúde: por sua composição, pode ajudar até a resolver problemas no intestino.

Além de ser muito saudável, o macarrão é saboroso, como garantem pessoas que participaram de testes realizados com o produto. Mas será que ele tem gosto de banana? “Não, ele não é doce e nem tem o sabor dessa fruta”, conta Magda. Os participantes do teste só acharam um pouco estranha a aparência do macarrão: afinal, ele é verde!

Embalagem da sopa de piranha desenvolvida pelo Inpa na Amazônia

A sopa instantânea de piranha, por sua vez, foi desenvolvida pelo pesquisador Edson Lessi, do Inpa. Ele resolveu fazer a sopa porque a piranha é um peixe que existe em grande quantidade na região amazônica, mas não é muito consumido. “As pessoas não gostam muito de comer o filé de piranha, mas, quando fizemos a sopa, elas aprovaram!”, comemora Edson.

O pesquisador desenvolveu quatro tipos de sopas: para consumo individual, para a merenda escolar, para ser usada no programa Fome Zero ‐ um programa do governo federal de combate à fome ‐ e outra para ser consumida por toda a família. A sopa é rica em proteínas: um prato dela é capaz de fornecer mais de um terço das necessidades diárias de uma criança!

Para comer a sopa de piranha, basta colocar o conteúdo do envelope na água e ferver por alguns minutos. “A sopa permite aproveitar um peixe que faz muito bem à nossa saúde e estava sendo desperdiçado”, diz Edson. A idéia é vender o produto também em outros países.

No entanto, se você, como bom brasileiro, não dispensa mesmo é um prato de feijão, ouça essa: o engenheiro de alimentos Franz Ruiz, gerente da empresa Green Technologies, ligada à da Unicamp, criou um feijão instantâneo. Sabe qual é a principal vantagem dele? Basta esperar cinco minutos e ele já está pronto! O feijão é vendido já cozido e congelado: é só temperá-lo a gosto e colocá-lo na água fervente. E nem precisa cozinhar na panela de pressão!

O feijão instantâneo criado na Unicamp, antes e depois do preparo

Quem costuma preparar esse prato – e sabe quanto tempo demora para ele ficar pronto ‐ com certeza vai gostar da notícia. Mas se ficar pensando como é possível alguém desenvolver um produto assim… Aqui vai a resposta: os pesquisadores cozinham o feijão por um curto período de tempo em uma alta temperatura, depois resfriam. “Esse é o mesmo método usado para conservar os leites de caixinha”. Assim o feijão fica tão gostoso como o feito em casa, porém mais nutritivo, conta Franz.

Além do feijão instantâneo, os pesquisadores da Unicamp ainda desenvolveram saladas e soja congeladas, superpráticas para o consumo! E você, gostaria de provar essas deliciosas invenções?

Matéria publicada em 04.02.2005

COMENTÁRIOS

Envie um comentário

Eliana-Pegorim

CONTEÚDO RELACIONADO

Um mergulho com os peixes

Acompanhe o final da aventura de Rex, Diná e Zíper e suas descobertas no fundo do mar.

Rex, Diná e Zíper em…

Um lanchinho para os peixes. É correto alimentar esses animais na natureza?

Open chat