Charmoso Rio de Janeiro

No ano em que completou 450 anos, o Rio de Janeiro ganhou mais um presente: uma série de vídeos sobre um período muito especial de sua história – o final do século 19 e início do século 20. Nessa época, a cidade passou por um momento único de mudanças e viu nascerem novas manifestações culturais, como o futebol e o cinema. O período ganhou o nome de belle époque, expressão em francês que quer dizer “bela época”.

Alunos do Internato do Ginásio Nacional, atual Colégio Pedro II, em 1895. (foto: Núcleo de Documentação do Colégio Pedro II)

Alunos do Internato do Ginásio Nacional, atual Colégio Pedro II, em 1895. (foto: Núcleo de Documentação do Colégio Pedro II)

Segundo a historiadora Renilda Barreto, do Centro Federal de Educação Tecnológica Celso Suckow da Fonseca (Cefet-RJ), esse é um tema pouco estudado nas escolas, apesar de muito marcante. “Foi quando ocorreu, por exemplo, a intervenção sanitarista do médico Oswaldo Cruz”, explica a pesquisadora. Para estimular a curiosidade sobre este capítulo da história do Rio, ela criou uma série de documentários curtos que abordam aspectos culturais, educacionais e da assistência à saúde nessas décadas.

Os vídeos estão divididos em três blocos – ciência, educação e lazer – e foram elaborados com a participação de adolescentes das turmas do Cefet. Eles participaram de todas as etapas da produção do vídeo, da decisão sobre o formato dos documentários até sua disponibilização na internet, passando pelas filmagens e pela edição.

Sala de parturientes da Maternidade de Laranjeiras, 1903. (foto: Augusto Malta / Acervo Museu da Imagem e do Som – RJ)

Sala de parturientes da Maternidade de Laranjeiras, 1903. (foto: Augusto Malta / Acervo Museu da Imagem e do Som – RJ)

Entre as preocupações da população carioca na belle époque, Renilda destaca a alta mortalidade infantil, a dificuldade de circulação dos automóveis na cidade – que ainda tinha traços do período colonial –, as greves de trabalhadores por melhores condições de trabalho e salários, a falta de maternidades públicas e as epidemias de várias doenças.

“O mais fascinante desse período é que a população não cruzou os braços diante dos problemas e não esperou pela iniciativa do governo – bastante criticado e considerado ineficiente em muitos aspectos”, comenta a pesquisadora. “De várias maneiras – pacífica ou violenta –, a população lutou por transformações socais”.

Fluminense Futebol Clube. (foto: Augusto Malta / Acervo Museu da Imagem e do Som – RJ)

Fluminense Futebol Clube. (foto: Augusto Malta / Acervo Museu da Imagem e do Som – RJ)

A cidade se reinventava a cada dia e nesse contexto também apareceram manifestações culturais interessantes. O cinema, ou cinematógrafo, como ficou conhecido na época, chegou por aqui e fez sucesso. “Nesse período surgiu também o futebol, uma forma de lazer dos operários das fábricas de tecidos de Bangu que rapidamente se espalhou pela cidade, tornando-se uma paixão de ricos e pobres”, acrescenta a historiadora.

Ninguém pode negar que foi uma herança pra lá de significativa que a belle époque deixou, não acha?

Confira, abaixo, o vídeo sobre o futebol. Você vai gostar de ver! Para conferir os outros documentários, clique aqui.

Matéria publicada em 15.04.2015

COMENTÁRIOS

Envie um comentário

Valentina Leite

Sou apaixonada por cinema, sushi e praia. Adoro escrever, andar de bicicleta, cantar (no chuveiro) e conhecer pessoas novas! Quando pequena queria ser cientista, mas acabei escolhendo ser jornalista e agora escrevo sobre ciência.

CONTEÚDO RELACIONADO

Um mergulho com os peixes

Acompanhe o final da aventura de Rex, Diná e Zíper e suas descobertas no fundo do mar.

Rex, Diná e Zíper em…

Um lanchinho para os peixes. É correto alimentar esses animais na natureza?

Open chat