Bola de cristal

Voltar no tempo ou pular para o futuro é coisa de filme, não é? Quase sempre. Às vezes, os cientistas desenvolvem experimentos capazes de nos transportar no tempo para compreender o passado e prever o futuro. Não, claro que eles não usam bolas de cristal. Mas alguns experimentos até que lembram uma. Veja, por exemplo, o mesocosmo marinho do Projeto Coral Vivo . Meso… o quê? Calma, que lá vem a resposta.

Os recifes de coral abrigam uma grande diversidade de organismos marinhos. (foto: Projeto Coral Vivo)

Os recifes de coral abrigam uma grande diversidade de organismos marinhos. (foto: Projeto Coral Vivo)

“Mesocosmo é um sistema desenhado para manter porções fechadas de corpos aquáticos ou áreas terrestres, em condições tão próximas do ambiente natural quanto possível, onde os fatores ambientais são realisticamente manipulados”, explica o biólogo marinho Gustavo Duarte, que coordena a pesquisa. O experimento está instalado em Arraial d’Ajuda, na Bahia, e, para apresentar resultados realistas, recebe água diretamente do oceano, de um ponto que está a 500 metros da costa.

Imagem de satélite mostra o mesocosmo marinho em terra e o local onde a água é captada, a 500 metros da costa. (foto: Projeto Coral Vivo)

Imagem de satélite mostra o mesocosmo marinho em terra e o local onde a água é captada, a 500 metros da costa. (foto: Projeto Coral Vivo)

Toda a estrutura tem capacidade para bombear 20 mil litros de água do mar por hora. Essa água é distribuída em diversos tanques e aquários e, no trajeto até eles, há grandes cisternas subterrâneas onde os cientistas usam aquecedores muito potentes e outros equipamentos que simulam situações que vão desde os cenários de mudanças climáticas até a poluição costeira, um problema ainda não resolvido em muitas partes da nossa bela costa oceânica.

Assim, é possível prever muito do que acontecerá com os ecossistemas marinhos no futuro se não cuidarmos bem deles. Um dos experimentos feitos no mesocosmo indicou que, se a água do oceano aumentar a sua temperatura em 2°C, algumas espécies que vivem nesse ambiente podem desaparecer. Que perigo! E o pior é que isso não está longe de se tornar realidade.

Complexo de tanques do mesocosmo marinho. (foto: Projeto Coral Vivo)

Complexo de tanques do mesocosmo marinho. (foto: Projeto Coral Vivo)

Muitas atividades humanas, como a indústria ou os transportes baseados em combustíveis fósseis, contribuem para o aumento das temperaturas na Terra (incluindo, claro, os mares). “Um acordo entre diversos países sobre o aquecimento global estabelece um limite de aumento de 2˚C na temperatura do planeta, e muitos países estão tentando aumentar este limite”, conta Gustavo. “Infelizmente, nossos resultados até agora mostram que mesmo 2˚C de aumento da temperatura podem ser muito ruins para os oceanos, principalmente para os recifes de coral – imagine aumentos maiores”.

Bem, vamos torcer para que o alerta do mesocosmo, assim como outros alertas feitos por pesquisadores do mundo inteiro, tenham o efeito desejado: conscientizar as pessoas de que precisamos começar logo a cuidar do futuro do planeta!

Matéria publicada em 28.10.2015

COMENTÁRIOS

Envie um comentário

Everton Lopes

Adoro viajar e ler. Quando era pequeno queria ser escritor, hoje, posso escrever sobre um monte de coisas novas que eu descubro aqui na CHC!

CONTEÚDO RELACIONADO

Um mergulho com os peixes

Acompanhe o final da aventura de Rex, Diná e Zíper e suas descobertas no fundo do mar.

Rex, Diná e Zíper em…

Um lanchinho para os peixes. É correto alimentar esses animais na natureza?