Nise da Silveira, uma cientista brasileira louca pela medicina

Ela misturava arte e terapia e criou um museu de imagens feitas pelos seus pacientes

 

Nise da Silveira nasceu em 1905, na cidade de Maceió, Alagoas. Foi uma das primeiras mulheres a se formar médica no país, entrando para a Faculdade de Medicina da Bahia, com apenas 21 anos de idade. Era a única mulher de sua turma! Especializou-se em psiquiatria, área que cuida de problemas mentais, porque tinha interesse em estudar uma doença, a esquizofrenia.

Após o falecimento dos seus pais, foi morar no Rio de Janeiro. Na nova cidade, foi aprovada em um concurso público para trabalhar no Hospital Psiquiátrico da Praia Vermelha. Nise tinha muitas ideias para melhorar a vida de seus pacientes, mas era uma época em que as pessoas não podiam se expressar livremente. Tudo era julgado pelo governo e, se algo fugisse do padrão, as pessoas poderiam ir presas. Foi o que aconteceu com Nise, que, por ter ideias diferentes para tratar seus pacientes, acabou sendo presa em 1936 e ficou na cadeia por mais de um ano.

Foto autor desconhecido/Arquivo Nise da Silveira

 

Robertha Triches,
Professora do Departamento de História do Colégio Pedro II
Doutora em História pela Universidade Federal Fluminense

Sou professora de História e adoro falar sobre as personalidades que marcaram o Brasil de outras épocas!

Edição Exclusiva para Assinantes

Para acessar, faça login ou assine a Ciência Hoje das Crianças

admin

CONTEÚDO RELACIONADO

Histórias de uma coisa que todo mundo faz

Você pode estar em casa, na maior tranquilidade, quando bate a vontade. Pode também estar na escola e ficar meio com vergonha de saberem que foi você quem fez. Pode ainda estar na rua e ter de correr para achar um lugar onde possa fazer...

Nariz para fazer som!

Esse conhecimento, que é passado de uma geração para outra, também pode ser compartilhado com pessoas de fora daquele grupo, seja desinteressadamente ou, por exemplo, com o propósito de conservar o ambiente em que vivemos.