Inseto pré-histórico

Ele vivia apenas um dia, mas foi preservado por milhões de anos.

Reprodução da Incogemina nubila. No desenho, Vê-se claramente a cabeça, detalhes do tórax e filamentos no fim do abdômen.
Ilustração Nato Gomes, a partir de desenho de Arianny Storari

Ficha Técnica

Nome: Efêmera (Incogemina nubila)
Origem: Ceará, Brasil
Tamanho: 40 milímetros
Peso: desconhecido
Época em que viveu: entre 113 e 125 milhões de anos (Período Cretáceo)

Se você pensa que apenas os fósseis de grandes animais nos dão pistas sobre as formas de vida do passado, é hora de mudar de ideia! O fóssil de um inseto de apenas quatro centímetros também pode conter informações valiosas. Estamos falando do Incogemina nubila, inseto que viveu na época dos dinossauros – tempo em que o ser humano estava longe de existir.

A Incogemina nubila é uma efêmera, um tipo de inseto voador que, na fase jovem, vive dentro d’água, e, quando chega à fase adulta, vive por um curto período de tempo: geralmente menos de um dia! Estudos mostram que a espécie viveu há mais de 100 milhões de anos e faz parte de uma família de efêmeras (Oligoneuriidae), conhecidas por terem pouquíssimas veias nas asas.

O mais novo fóssil da Incogemina nubila foi encontrado em 2018, na região onde atualmente fica a cidade de Crato, no interior do Ceará. Na época em que viveu esse inseto, a região era composta por muitos lagos, que ficavam à beira de um estreito oceano. A América do Sul e a África ainda formavam um único bloco de terra: o supercontinente Gondwana, que aos poucos foi se afastando e dando origem ao oceano Atlântico.

Arianny Storari
Programa de Pós-graduação em Ciências Biológicas
Universidade Federal do Espírito Santo

Edição Exclusiva para Assinantes

Para acessar, faça login ou assine a Ciência Hoje das Crianças

admin

CONTEÚDO RELACIONADO

Quem canta seus males espanta

Ouvir (e cantar!) uma boa música traz inúmeros benefícios. Já cantou hoje?