Bicho ou planta?!?

Elas vivem paradas, mas dão cor ao fundo do mar, rios e lagos há milhões de anos.

Uma das coisas que mais me fascina no reino animal é aquantidade de formas que evoluíram ao longo de muitos milhões de anos. Peixes, répteis, insetos, caramujos, vermes, estrelas-do-mar… que diversidade! Um dos grupos mais curiosos de animais talvez sejam as esponjas. À primeira vista, essas criaturas aquáticas não se parecem em nada com um bicho. Afinal, vivem fixas sobre alguma superfície, como rochas e corais, e têm formas que mais lembram vasos, vulcões ou musgo. Não é à toa, que por muito tempo elas foram consideradas plantas!
Graças ao estudo cuidadoso de suas células e as substâncias que as compõem, e tambémà análise do seu DNA, hoje não temos dúvidas de que as esponjas são animais, e um dos grupos mais antigos a evoluir. Cientistas encontraram fósseis de esponjas com aproximadamente 600 milhões de anos! Só para você ter uma ideia, os primeiros artrópodes (grupo que inclui, por exemplo, os crustáceos e insetos) surgiram há 540 milhões de anos, e os mamíferos a 225 milhões de anos atrás.

As esponjas formam um grupo de animais chamado Porífera. Seu corpo tem muitos buraquinhos (poros), por onde a água entra, passa por canais e depois sai por um ou mais poros maiores. Durante esse processo, a água é filtrada pela esponja, que captura minúsculos seres que lhe servem de alimento, como bactérias, algas, protozoários, e até pequenos crustáceos. Algumas esponjas podem filtrar mais de mil litros de água por dia!
Foto: Eduardo Hadju (Departamento de Invertebrados, Museu Nacional).
As esponjas podem apresentar cores diferentes de acordo com a espécie. Variadas também são as substâncias que os cientistas já encontraram no corpo delas, que lhes deixam tóxicas ou desagradáveis para quem tente devorá-las.Algumas dessas substâncias estão sendo testadas para a produção de medicamentos que, no futuro, poderão salvar vidas humanas.
Foto: Eduardo Hadju (Departamento de Invertebrados, Museu Nacional).
As esponjas, acredite, têm “esqueleto”. Muito diferente do nosso, é verdade, mas que sustenta o corpo delas. A maioria tem um esqueleto formado por fibras de uma substância macia, chamada espongina (A). O esqueleto de outras é feito de calcário (B), mesmo material das conchas de caracóis. Mas, algumas das mais belas são as esponjas-de-vidro(C), assim chamadas por causa do seu esqueleto de sílica, o mesmo componente do qual o vidro é feito.
Fotos: Wikimedia Commons.

Os cientistas já catalogaram mais de nove mil espécies de esponjas no mundo, a grande maioria vivendo no mar, e algumas em água doce. No Brasil, já foram encontradas quase 500 espécies, e novas espécies continuam sendo descobertas. Os especialistas acreditam que a diversidade de esponjas brasileiras pode passar de 700 espécies, ou seja, há muitos tipos ainda desconhecidos por nós!

Se as esponjas não se movem, como se reproduzem? Bem, elas fazem isso de dois jeitos. No primeiro, um brotinho cresce e se desprende da esponja-mãe, dando origem a uma nova esponja (em algumas espécies, o broto fica “dormente” no interior da esponja-mãe e só se desenvolve depois que ela morre).

O outro jeito de reprodução acontece quando as esponjas liberam células reprodutivas (gametas) na água. Os dois tipos de gametas (espermatozoides e oócitos) podem se encontrar, formando um embrião que,ao se fixar em alguma superfície como uma rocha, se desenvolverá em uma nova esponja. Mas, em algumas espécies, os espermatozoides de uma esponja são filtrados por outra, e encontram os oócitos dentro dela.Lá, eles se juntam e formam um embrião, que depois é liberado na água para crescer e virar uma nova esponja.

Dia e noite filtrando água, as esponjas, literalmente, levam uma vida parada. Mas, elas deixam os nossos mares, lagos e riachos muito mais ricos e coloridos, faz tempo. Que continuem assim, por milhões de anos mais!


Henrique Caldeira Costa,
Departamento de Biologia Animal
Universidade Federal de Viçosa

Sou biólogo e muito curioso. Desde criança tenho interesse especial em pesquisar os seres vivos, especialmente o mundo animal. Vamos fazer descobertas incríveis aqui!

Matéria publicada em 19.03.2019

COMENTÁRIOS

  • Anna Elise

    Resumindo……….as esponjas são demais!!!

    Publicado em 15 de junho de 2019 Responder

  • MEL 3D

    #QUEM NÃO AMA ESPONJAS NE.

    Publicado em 16 de junho de 2020 Responder

  • cla

    ESPONJAS

    Publicado em 16 de junho de 2020 Responder

  • ISABEL

    legal muuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuitas imformação

    Publicado em 27 de julho de 2020 Responder

  • ANA JULIA

    MUITO LEGAL E INTERRESSANTE

    Publicado em 2 de abril de 2021 Responder

  • Miguel Domingues de Araujo

    Muito legal a reportagem sabendo um pouco mais das esponjas do mar. O curioso é que elas variam de cores dando um colorido especial no fundo do mar, muito interessante.

    Publicado em 3 de abril de 2021 Responder

  • João Henrique

    legal saber as cores delas

    Publicado em 5 de abril de 2021 Responder

  • Isis Lopes Roma

    As esponja do mar e muito colorida e lindas eu amei muuuuuuuuuuuuuuuuuuuuito

    Publicado em 6 de abril de 2021 Responder

  • Aline

    Olá boa tarde. Eu ainda não consigo entender o porquê das esponjas serem classificadas como animais e não vegetais. As esponjas não se deslocam e o fato de terem gametas não se sustenta para ser classificadas em animal, já que existem plantas, asangiopermas, por exemplo, que também têm e são plantas. Poderia explicar melhor sobre essa classificação? Analisando as esponjas, para mim, nada difere, por exemplo, de um alface, a não ser o ambiente em que cada um produz seu próprio alimento.

    Publicado em 7 de abril de 2021 Responder

  • Lívia da Silveira Marchelli

    As esponjas do mar são lindas ^.^

    Publicado em 11 de abril de 2021 Responder

  • Miguel verdeiro

    Legal as esponjas são super velhas

    Publicado em 11 de abril de 2021 Responder

    • Miguel Abreu

      Miguel verdeiro
      Legal as esponjas são super velhas

      Publicado em 11 de abril de 2021 Responder

      Publicado em 7 de junho de 2021 Responder

  • Miguel Abreu

    As esponjas fazem muita diferença no oceano

    Publicado em 7 de junho de 2021 Responder

Envie um comentário

admin

CONTEÚDO RELACIONADO

Viajar também é ciência

Você já ouviu falar em viajante-naturalista? Aceita o nosso convite para conhecer alguns desses profissionais?

Quanto menor o escorpião, mais forte o veneno?

Para encontrar a resposta, é preciso uma investigação científica!

Open chat