A vez das crianças

Criança também tem vez na Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável. Um exemplo são as 90 crianças do projeto +Criança na Rio+20, da Fundação Xuxa Meneghel. Elas estão no Rio de Janeiro trabalhando com muita dedicação na preparação de um documento para toda a sociedade: a Carta das Crianças para a Terra.

Esta carta – que será entregue amanhã no espaço Humanidade 2012 – conterá a opinião e as propostas das crianças para a construção de uma vida mais sustentável. Angelica Goulart, diretora executiva da Fundação Xuxa Meneghel, explica que o objetivo do projeto é garantir a participação das crianças: “essa participação inclui que elas tenham voz e que essa voz seja valorizada e considerada pela sociedade como um todo”.

Crianças de todo o Brasil participam do +Criança na Rio+20. Elas representam a infância de várias comunidades, entre elas quilombolas, ribeirinhas, indígenas e de grandes centros urbanos (Foto: Fundação Xuxa Meneghel)

Vindos de vários estados brasileiros, os participantes do projeto fizeram um levantamento dos problemas nos lugares onde moram e, levando em conta os temas presentes na Carta da Terra, pensaram em propostas para serem discutidas no Rio de Janeiro. Um exemplo é a preocupação trazida por Igor Mateus Brioc, que tem 12 anos e veio lá de Pontão, no Rio Grande do Sul: ele se preocupa com o uso de agrotóxicos nas plantações.

No Rio, junto com crianças de outras comunidades brasileiras, ele participa de debates, troca experiências e discute a criação da carta.  Para ajudá-los neste processo, foram programadas várias atividades durante a Rio+20, como rodas de diálogo, visitas aos espaços da conferência, fóruns, atividades culturais, oficinas e até brincadeiras e atividades de lazer.

São muitos compromissos: o grupo já visitou a Cúpula dos Povos, para entender a importância dos movimentos sociais na Rio+20, conversou com empresários sobre como desenvolver sem destruir a natureza e também com políticos, para entender como eles podem melhorar a vida das pessoas (Foto: Fundação Xuxa Meneghel)

“É bom a gente participar porque nunca é tarde para a gente mudar o mundo”, diz Kênia Souto, que tem 12 anos e é de Corumbá, Mato Grosso do Sul. Depois que o projeto acabar, ela acha importante fazer palestras e falar do que aconteceu na Rio+20 para as outras pessoas, porque acredita que isso pode ajudar a melhorar o mundo.

“No futuro, a ideia é construir uma rede nacional chamada +Criança, onde as crianças vão fazer propostas e estimular outras crianças a participar”, conta Angelica. Para acompanhar as atividades do +Criança na Rio+20, você pode acessar o blogue do projeto.

Matéria publicada em 21.06.2012

COMENTÁRIOS

  • Tiago

    GAVIAO-pombo-GRANDE

    Ola!chc eu gostei muito do assunto sobre o gaviao-pombo-grande no numero 261,queria que voces publicassem mais sobre aves

    Publicado em 13 de junho de 2018 Responder

Envie um comentário

Joyce-Santos

Sempre gostei de estudar e aprender. Na CHC, posso descobrir coisas novas e escrever sobre elas: perfeito!

CONTEÚDO RELACIONADO

Um mergulho com os peixes

Acompanhe o final da aventura de Rex, Diná e Zíper e suas descobertas no fundo do mar.

Rex, Diná e Zíper em…

Um lanchinho para os peixes. É correto alimentar esses animais na natureza?

Open chat