A química do galinho do tempo

Final de semana chegando, aposto que todo mundo quer saber como estará o clima. Vai fazer calor? Teremos dias ensolarados para ir à praia e passear ao ar livre? Há muito tempo o homem tenta prever tudo isso usando a química. Temperatura ambiente, pressão atmosférica e umidade do ar são algumas das variáveis que podem ser medidas com a ajuda de substâncias especiais.

A temperatura, por exemplo, pode ser medida usando a propriedade que as substâncias possuem de aumentarem de volume – ou dilatarem, como dizem os cientistas – de forma proporcional ao aumento da temperatura. Termômetros usados para medir a temperatura corporal e ambiente usam para isso, por exemplo, álcool e mercúrio, que dilatam bastante mesmo com pequenas variações na temperatura.

termometro

Os termômetros de mercúrio aproveitam a propriedade que essa substância tem de dilatar com o aumento da temperatura. Quanto mais quente está, mais o mercúrio dilata, e o termômetro marca números mais altos (Foto: Wikimedia Commons)

Para estimar a quantidade de umidade no ar, por outro lado, podemos usar uma substância química diferente, chamada cloreto de cobalto, e que tem uma propriedade especial: mudar de cor quando entra em contato com a água. Em um ambiente seco, o cloreto de cobalto tem coloração azul. Porém, quando está hidratada – misturada com água –, fica rosada. Essa mudança de cor é reversível, ou seja, o composto pode ficar rosado num ambiente úmido e, se for levado a um ambiente mais seco, ficar azul de novo.

A cor do cloreto de cobalto varia de azul, na ausência de água, a rosa, quando o composto está hidratado (Fotos: Wikimedia Commons)

Por isso, o cloreto de cobalto é usado na fabricação de alguns tipos de cartões indicadores de umidade. Eles servem, por exemplo, para garantir que as embalagens contendo produtos eletrônicos foram armazenadas de forma apropriada, em ambiente livre de umidade, antes da venda.

galinho do tempo

O galinho do tempo é um souvenir típico de Portugal. Graças à presença do cloreto de cobalto, a cor das penas da asa e da cauda varia de acordo com as condições do tempo (Foto: Mixy Lorenzo / Flickr / CC BY-NC-SA 2.0)

O uso mais divertido do cloreto de cobalto, porém, é a fabricação do galinho do tempo, que muda de cor de acordo com a variação do clima. Produto típico de Portugal, onde ele ainda é fabricado e vendido aos turistas como lembrança de viagem, o galinho do tempo é revestido de material absorvente e tem as suas asas e algumas penas da cauda impregnadas com cloreto de cobalto.

Se o tempo estiver seco, portanto, sem possibilidade de chover, o cloreto de cobalto perde água e fica azul. Quando há muita umidade no ar, porém, o cloreto de cobalto se hidrata e fica rosa. As variações de temperatura também influenciam na mudança de cor: se o tempo esquenta, o galinho fica azul; se esfria, fica rosado. Portanto, a cor rosa indica tempo ruim, frio e com possibilidade de chuva.

Apesar de o galinho do tempo não ser um bom meteorologista – ele apenas registra as variações do clima do momento, mas não consegue prever as variações que ocorrerão no futuro –, é muito divertido observá-lo e verificar sua mudança de cor. Da próxima vez que algum conhecido seu for a Portugal, lembre-se de lhe dar antes uma lição de química com o galinho do tempo!

Matéria publicada em 20.10.2012

COMENTÁRIOS

  • Daniele Martins

    Olá, tudo bem? Gostei do conteúdo desde já quero expressar minha gratidão. Vou recomendar meus alunos.

    Publicado em 1 de setembro de 2020 Responder

  • Loren eloah

    Muito obrigada!me ajudou na tarefa de ciências da escola

    Publicado em 25 de setembro de 2020 Responder

CONTEÚDO RELACIONADO

Parque Nacional de Itatiaia

A primeira área de preservação ambiental do Brasil

Pequenos notáveis

Conheça os peixes criptobênticos!