Perereca-pixinguinha, novinha em folha!

Será que os pesquisadores ainda encontram novas espécies de animais e plantas? Espécies que nunca ninguém ouviu falar? Pode apostar que sim! Em 2020, durante uma expedição para monitoramento de animais ameaçados no município de Santa Teresa, no Espírito Santo, foi encontrado um anfíbio muito diferente de todos já registrados na região. Depois de um ano de muita investigação, descobriu-se que o pequenino animal era um achado inédito para a ciência. Diga “muito prazer” à perereca-pixinguinha!

A recém-descoberta perereca-pixinguinha.
Foto cedida pelo autor

A perereca-pixinguinha tem algumas características diferentes, que serviram para identificá-la como uma nova espécie. Os indivíduos são bem pequenos – medem entre 2,4 e 3,8 centímetros! – e as fêmeas são maiores que os machos. A coloração noturna do animal também chama atenção: os machos apresentam um tom amarelo forte quando estão em busca de um par para acasalar. Já durante o dia, a coloração muda: machos e fêmeas variam entre diferentes tons de cinza, bege e marrom. Além disso, esse anfíbio tem uma mancha escurecida entre os olhos e coloração branca-esverdeada em fundo preto, na região da virilha e na parte de dentro das pernas. Por último – se liga nessa dica! –, seu canto possui um coaxo especial.

João Victor A. Lacerda
Instituto Nacional da Mata Atlântica

Edição Exclusiva para Assinantes

Para acessar, faça login ou assine a Ciência Hoje das Crianças

CONTEÚDO RELACIONADO

Campeonato carioca (de samba)!

Qual a origem e o que conta nos desfiles das escolas de samba?

Cofrinho da natureza

Na cultura chinesa, o porco é símbolo de prosperidade e riqueza. Por esta razão, muitos cofrinhos têm o formato desse animal. E se há algo que podemos afirmar com segurança é que “para ter sempre, é preciso poupar”.