O guarda-roupa da princesa

Quando o assunto é roupa de princesa, o que você imagina? Tecidos caríssimos? Bordados com pedras preciosas e fios de ouro? Joias e sapatos exclusivos para combinar? Em algum lugar do mundo pode ser algo por aí mesmo. Porém, a princesa Carolina Josefa Leopoldina de Habsburgo, nascida em 1797, em Viena, capital da Áustria, marcou algumas mudanças nos modelitos de sua época. Que tal dar uma espiada nessa história?

Ilustrações Mariana Massarani

Antes de bisbilhotarmos o guarda-roupa da princesa, você precisa saber que a moda pode dizer muito sobre as pessoas, sobre uma sociedade. Podemos passar uma mensagem sobre o que pensamos da vida somente com uma camiseta que traga uma frase de efeito, por exemplo. A moda conta história e, assim como a arquitetura, caracteriza o estilo e o espírito de uma época. O estilo não inclui somente o vestuário, mas objetos do dia a dia, como móveis, louça, itens de decoração…

A moda também movimenta a economia – isso quer dizer que há muitos empregos envolvidos, há compra de matéria-prima e venda de produtos prontos para consumo. Para simplificar, imagine: do algodão plantado, colhido, transformado em tecidos, que inspiram estilistas e ganham forma não mãos de costureiras, até, finalmente, saírem das fábricas para serem vendidas nas lojas… Ufa! Quanta gente trabalha? Quanto dinheiro circula para lá e para cá? Então, a moda faz isso.

Gloria Kaiser
Historiadora austríaca
Membro da Academia de Letras da Bahia

Edição Exclusiva para Assinantes

Para acessar, faça login ou assine a Ciência Hoje das Crianças

admin

CONTEÚDO RELACIONADO

Bem lá no fundo do oceano

Segure o fôlego e mergulhe para descobrir o que há no mar profundo!

Monumento ao Dois de Julho

Ele fica em Salvador, na Bahia, e é um marco no processo de Independência do Brasil