Mudando e multiplicando!

A palavra “mutante” nos faz logo pensar em filmes ou desenhos animados, nos quais os heróis e, às vezes, os vilões ganham o poder de se transformar. Ficam maiores, mais rápidos, mais fortes… Mas, no mundo real, também existem mutantes – é o caso dos vírus!
Os vírus são considerados mutantes porque os ingredientes dos quais são formados podem se modificar. Esse é o caso do novo coronavírus, que pode causar problemas respiratórios graves e que, por isso, faz com que uma quantidade enorme de pessoas pelo mundo inteiro tente se proteger ficando em casa.


Ilustração Jaca

Todo mundo sabe o que os vírus são capazes de causar doenças em humanos e em outros animais. Gripe, dengue, sarampo são alguns exemplos de doenças provocadas por vírus. Eles podem ter formatos diferentes, mas são iguais em algumas coisas: são microscópicos, formados por material genético (DNA ou RNA, que são o “manual de instruções” do vírus) e embrulhados em um pacote chamado capsídeo. Alguns vírus, como o novo coronavírus, possuem uma capa protetora adicional chamada “envelope”, que contém gorduras em sua composição – isso faz com que detergente e sabão possam destruir estes vírus. .

Outra característica dos vírus é a mutação. Esse processo modifica os ingredientes formadores do “manual de instruções” dos vírus, podendo transformá-los em vírus diferentes. As mutações são, na verdade, erros que acontecem durante a multiplicação dos vírus. Algumas mutações tornam os vírus mais perigosos à nossa saúde. Outras não têm efeito.

 

Paulo Michel Roehe
Instituto de Ciências Básicas da Saúde  (ICBS)
Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Edição Exclusiva para Assinantes

Para acessar, faça login ou assine a Ciência Hoje das Crianças

admin

CONTEÚDO RELACIONADO

Monumento ao Dois de Julho

Ele fica em Salvador, na Bahia, e é um marco no processo de Independência do Brasil

Uma conversa sobre cobras gigantes

Anacondas ou sucuris são serpentes que podem chegar a alguns metros de comprimento, mas não tanto quanto nos filmes!