O autor da vez é…

rexEu adoro escrever histórias. Opa! Você também? Então tenho um convite irrecusável: participar de um concurso de contos promovido pela CHC em parceria com as editoras Biruta e Gaivota. O vencedor vai publicar seu texto aqui na CHC Online!

A brincadeira tem participação mais do que especial do autor Cesar Cardoso, que escreveu livros como Você não vai abrir? e O que é que não é?, publicados pela Biruta. Ele preparou o início da história abaixo e terminá-la é tarefa sua!

DO TAMANHO DO MARACANÃ
Nem era meu aniversário, mas o pai trouxe uns panos todos coloridos e disse pra mãe fazer uma camisa, um calção e uma bandeira pra mim. Tinha verde, amarelo, azul e branco, e eu perguntei se não podia ser tudo azul. O pai berrou pra eu largar de ser besta, azul era a cor da Argentina, que era o inimigo. Eu não sabia e até perguntei pro pai por que a Argentina era o inimigo, mas o pai não ouviu. Ele não gosta muito de ouvir, prefere é falar. E falou: te prepara porque você vai na final, na final. Lá no Maracanã.

No Maracanã!

A mãe foi logo pra máquina de costura e depois me chamou pra experimentar a roupa nova com aquelas cores todas. Eu perguntei pra ela como é que a gente se prepara para ir na final, mas a mãe só disse que o Maracanã era enorme e que eu não podia largar a mão do pai de jeito nenhum.

E passou o tempo todo repetindo: de jeito nenhum, de jeito nenhum.

A mana veio me espiar e ficou falando que aquilo era roupa de palhaço e que eu era palhaço. Eu expliquei que não era nada disso e eu até quis a roupa toda azul mas é que azul é a cor do inimigo, que é a Argentina. Ela disse que a Argentina não era inimigo coisa nenhuma e que eu só pensava isso porque era palhaço. E repetiu: “palhaço, palhaço!”. Eu comecei a brigar com ela, mas aí o pai chegou, perguntou logo se a gente queria dormir quente e mandou nós dois pra cama.

Foi uma dificuldade pra eu dormir. Só ficava tentando adivinhar qual seria o tamanho do Maracanã, onde o pai ia me levar. O pai já me levou no cinema, na lanchonete e na praia, mas nunca nesse Maracanã, que era enorme. Antes de ir pra cama, eu me escondi atrás da porta do quarto do pai e ouvi a mãe perguntando pra ele se não era perigoso porque era final. E repetia “final, final”. Eu ainda pensei – será que o Maracanã ia acabar? O pai falou que não tinha perigo nenhum, mas a mãe achou que eu podia me perder.

E se eu me perdesse, será que o dono do Maracanã me trazia de volta?

Para participar, você precisa:
– Criar uma continuação para a história (o tamanho deve ser entre 2000 e 2500 caracteres, com espaços);
– Enviar seu texto para o endereço eletrônico blog@blogbirutagaivota.com.br;
– Colocar, no assunto do email, “Autor da Vez – Cesar Cardoso”.

Só é permitido enviar um texto por pessoa e as inscrições estão abertas até o dia 21 de abril. Em seguida, as equipes das editoras e da CHC vão escolher a melhor história.

prêmios

Os vencedores, além de ganharem o livro Você não vai abrir?, do Cesar Cardoso, e uma assinatura digital da CHC, terão seus textos publicados na CHC Online e no blogue Biruta Gaivota. Participe!

Matéria publicada em 21.03.2013

COMENTÁRIOS

Padrão do site

Sou o mascote da CHC. Troquei a pré-história pelo mundo virtual para mostrar a você o lado curioso e divertido da ciência.

CONTEÚDO RELACIONADO

Grêmio Recreativo Escola de Samba Turma do Rex apresenta… A história do carnaval!

Rex, Diná e Zíper vão passar o carnaval no Rio de Janeiro e aproveitam para contar a você muitas curiosidades sobre o passado dessa festa!