O mosquito que incomoda muita gente

Armadilhas, inseticidas, repelentes, garrafas de cabeça para baixo, vasos de planta com areia nos pratos, caixas d’água bem fechadas… A maioria das pessoas parece já saber o que é preciso fazer para evitar a picada e a multiplicação do Aedes aegypti, transmissor da dengue. Mas você sabe como o mosquito é capaz de levar o vírus de uma pessoa a outra?

Na verdade, são necessários três componentes em ação para que alguém seja contaminado e a doença se desenvolva: o vírus que causa a doença; a fêmea do Aedes aegypti, que é o mosquito transmissor do vírus (ou vetor) e uma pessoa que nunca teve contato com o tipo de vírus que está sendo transmitido pelo inseto para ser contaminada. Quando tudo isso se junta, é dengue na certa! Mas, vamos entender melhor…

A fêmea do mosquito da dengue vive até 30 dias. Para conseguir o sangue de que necessita para se alimentar e amadurecer seus ovos, ela tem, digamos, uma arma secreta. Sua saliva contém substâncias que funcionam como um anestésico, o que dificulta que a pessoa que está sendo picada perceba o inseto em ação (Foto: Genilton Vieira/IOC)

A fêmea do mosquito pica porque precisa do sangue para amadurecer seus ovos. Então, ao sugar o sangue de alguém com o vírus da dengue, o inseto é infectado. Dentro do mosquito (ou melhor, da “mosquita”!), o vírus segue diretamente para o seu estômago, onde fica de dez a 12 dias. Ali, ele se multiplica e se espalha pelo organismo do inseto, chegando às glândulas salivares. É aí que a fêmea do A. aegypti se torna transmissora (ou vetor) do vírus da dengue para outras pessoas que vier a picar, porque, antes de sugar o sangue, ela injeta um pouco de saliva, que se estiver contaminada…

Verdade seja dita: não é certo que a pessoa picada pela fêmea do A. aegypti desenvolverá a doença. Se a vítima do mosquito for alguém que nunca teve a dengue, a resposta é sim, ela adoecerá. Porém, existem quatro tipos de vírus da dengue, denominados 1, 2, 3 e 4. Uma pessoa que já teve dengue do tipo 1, por exemplo, torna-se imune a esse vírus, adoecendo apenas se for infectada com os tipos 2, 3 e 4. Quem já teve dengue dos tipos 1 e 3, por exemplo, adoecerá se for contaminada com os tipos 2 e 4, e por aí vai…

Como a fêmea do A. aegypti não apresenta carteira de identidade, tampouco anuncia com qual tipo de vírus ela está infectada, o que temos a fazer é nos proteger de todo e qualquer mosquito!

(Esta é uma reedição do texto publicado na CHC 230.)

Matéria publicada em 15.01.2013

COMENTÁRIOS

  • Anna Elise

    Adorei o texto!

    Publicado em 17 de fevereiro de 2019 Responder

  • Geovana

    Eu achei bem interessante o texto

    Publicado em 5 de junho de 2020 Responder

  • Geovana

    Eu achei muito interessante o texto.

    Publicado em 5 de junho de 2020 Responder

Envie um comentário

Denise-Valle

CONTEÚDO RELACIONADO

Um mergulho com os peixes

Acompanhe o final da aventura de Rex, Diná e Zíper e suas descobertas no fundo do mar.

Rex, Diná e Zíper em…

Um lanchinho para os peixes. É correto alimentar esses animais na natureza?

Open chat