Kaluanã, a pequena grande guerreira

Apesar de atender pelo nome de peixe-boi-da-Amazônia, estamos falando de um mamífero que vive nos rios. Um filhote fêmea dessa espécie, que está ameaçada de extinção, foi encontrada em setembro de 2016 em um trecho do rio Anapú, próximo à comunidade de Santo Antônio, que fica no entorno da Floresta Nacional de Caxiuanã, na ilha do Marajó. Para resgatá-la, pesquisadores criaram uma expedição.

Kaluanã no local onde estava sendo mantida sob os cuidados de uma família da comunidade Santo Antônio, na Floresta Nacional de Caxiuanã, PA. (fotos cedidas pelas autoras)

Kaluanã no local onde estava sendo mantida sob os cuidados de uma família da comunidade Santo Antônio, na Floresta Nacional de Caxiuanã, PA. (foto: Janine Valente)

A equipe, composta de uma bióloga e uma veterinária, embarcou no navio Leão do Marajó, que partiu de Belém rumo à primeira escala da viagem – o município de Breves, localizado ao sul de Marajó. Apenas esse primeiro percurso durou 12 horas! De lá, a equipe se deslocou de barco por mais oito horas. Mas somente no terceiro dia de viagem foi possível chegar até a comunidade onde estava Kaluanã – nome dado ao filhote e que significa ‘grande guerreira’.

Kaluanã estava há sete dias em um poço cavado especialmente para receber a pequenina, na margem do rio Anapú. Ela foi transportada por cerca de duas horas sobre um colchão até a sede da Estação Científica Ferreira Penna (ECFP), em Melgaço. Durante todo o percurso, sua respiração foi monitorada e, sobre o seu corpo, foi aplicado óleo mineral para hidratar a pele, além toalha molhada com água para a manutenção da umidade.

O filhote apresentava ferimentos na cabeça.

O filhote apresentava ferimentos na cabeça. (foto: Janine Valente)

Na ECFP, o filhote foi colocado em uma piscina de 5.500 litros e alimentado com uma fórmula de leite de soja, com suplementos vitamínicos e óleo de canola, preparada especialmente para ele. Um exame geral foi realizado para saber das condições de saúde do animal.

Kaluanã foi alimentada com uma mamadeira preparada especialmente para ela, contendo uma fórmula de leite de soja e suplementos vitamínicos.

Kaluanã foi alimentada com uma mamadeira preparada especialmente para ela, contendo uma fórmula de leite de soja e suplementos vitamínicos. (foto: Janine Valente)

Kaluanã mede 90 centímetros e pesa 13,5 quilos. Ela chegou à ECFP com seis ferimentos arredondados na cabeça e problemas intestinais. Os ferimentos foram limpos com antisséptico e tratados com pomada antibiótica. Além disso, ela teve que tomar injeção na cabeça, no local dos ferimentos, e outros medicamentos para regular seu intestino.

Como foi destemida! Não é à toa que foi apelidada de guerreira.

Ela passou por diversos exames para verificar seu estado de saúde.

Ela passou por diversos exames para verificar seu estado de saúde. (foto: Janine Valente)

Prazer, peixe-boi!

O peixe-boi-da-Amazônia é uma das espécies de mamíferos aquáticos mais ameaçadas do Brasil. No passado, foi quase extinta pela caça predatória. Por isso, hoje, qualquer exemplar de peixe-boi merece atenção especial, com o objetivo de manter as populações nativas e contribuir para o equilíbrio do ecossistema.

Kaluanã voltará para o município de Breves e, depois, para o ZooFIT, um centro de reabilitação para filhotes de peixes-bois-da-Amazônia. Lá, ela deverá permanecer sob os cuidados de médicos veterinários, biólogos e tratadores até ficar totalmente boa. Quando estiver curado, o filhote deve retornar à Floresta Nacional de Caxiuanã para ser solto na natureza. E nós ficaremos aqui torcendo por essa pequena grande guerreira da Amazônia!

 

Matéria publicada em 17.10.2016

COMENTÁRIOS

Envie um comentário

Renata Emin e Doracele Tuma

CONTEÚDO RELACIONADO

Um mergulho com os peixes

Acompanhe o final da aventura de Rex, Diná e Zíper e suas descobertas no fundo do mar.

Rex, Diná e Zíper em…

Um lanchinho para os peixes. É correto alimentar esses animais na natureza?