(Des)encontrando Dory

Quem não curte um bom filme, praia, mar e peixes coloridos? E tudo isso junto, durante as férias? Delícia! Não é à toa que o filme Procurando Dory, que estreou nos cinemas nas últimas férias, é um grande sucesso. Mas você sabia que Dory, Nemo, e seus amigos existem na vida real?

Achamos a Dory! É um simpático peixe cirurgião (<i>Paracanthurus hepatus</i>) em Bali, Indonésia. (foto: João Paulo Krajewski)

Achamos a Dory! É um simpático peixe cirurgião (Paracanthurus hepatus) em Bali, Indonésia. (foto: João Paulo Krajewski)

Bem, não são exatamente os personagens de Procurando Dory e Procurando Nemo que você vai encontrar no mar, mas peixinhos muito parecidos com os dos filmes. Dory, por exemplo, é um peixe-cirurgião (Paracanthurus hepatus), enquanto Nemo é um peixe-palhaço (Amphiprion ocellaris).

Nemo e Marlin, são vocês? Dois lindos peixes-palhaço (<i>Amphiprion percula</i>). (foto: João Paulo Krajewski)

Nemo e Marlin, são vocês? Dois lindos peixes-palhaço (Amphiprion percula). (foto: João Paulo Krajewski)

Infelizmente, Dory e Nemo não vivem nos mares brasileiros, e você vai suar um bocado para vê-los nos mares em que vivem, já que é preciso ir até o outro lado do mundo: Austrália, Indonésia e outros países banhados pelos oceanos Índico e Pacífico (vale lembrar: o oceano das praias do Brasil é o Atlântico). Haja viagem de avião e de barco para chegar até lá…

Um dos coloridos recifes de corais do Oceano Pacífico, onde moram Dory, Nemo e a sua turma de amigos. (foto: João Paulo Krajewski)

Um dos coloridos recifes de corais do Oceano Pacífico, onde moram Dory, Nemo e a sua turma de amigos. (foto: João Paulo Krajewski)

Os dois peixinhos vivem em ambientes marinhos conhecidos como recifes de corais, muito famosos por sua beleza, águas claras e quentinhas, e pela grande variedade de animais que vivem ali – muitos deles tão coloridos quanto os personagens do filme. Seja na vida real ou no cinema, é impossível não se apaixonar por peixes tão lindos e pelo cenário fantástico onde vivem!

Tubarão-baleia (<i>Rhincodon typus</i>): um verdadeiro gigante gentil dos mares, assim como a simpática Destiny, do filme <i>Procurando Dory</i>. (foto: João Paulo Krajewski)

Tubarão-baleia (Rhincodon typus): um verdadeiro gigante gentil dos mares, assim como a simpática Destiny, do filme Procurando Dory. (foto: João Paulo Krajewski)

Pela dificuldade de ver esses peixes nos recifes do outro lado do mundo, muitos fãs da Dory e do Nemo acabam procurando as lojas de aquário para ter um deles (ou os dois) em casa. O problema é que, assim como os dois filmes mostram, essas espécies gostam mesmo é de viver no mar.

Leões-marinhos (<i>Neophoca cinerea</i>) bigodudos e simpáticos. Vocês sabem onde está a Dory? (foto: João Paulo Krajewski)

Leões-marinhos (Neophoca cinerea) bigodudos e simpáticos. Vocês sabem onde está a Dory? (foto: João Paulo Krajewski)

No caso da Dory, tem mais uma complicação: ainda não se sabe como fazer os filhotes dessa espécie nascerem em aquário. Por isso, todos os peixes parecidos com a Dory que estão em aquários nasceram no mar, onde foram capturados e depois transportados para outros lugares. A retirada de seu hábitat natural pode machucar (e muito!) os peixinhos, que podem até morrer durante a longa viagem ao Brasil. Além disso, peixes como a Dory dificilmente se acostumam à vida em aquários, que é muito diferente da vida no mar. Por isso, é comum pegarem doenças difíceis de tratar.

Raias-chita (<i>Aetobatus narinari</i>) são a espécie do Tio Raia, personagem que leva os filhotinhos dos peixes para passear. (foto: João Paulo Krajewski)

Raias-chita (Aetobatus narinari) são a espécie do Tio Raia, personagem que leva os filhotinhos dos peixes para passear. (foto: João Paulo Krajewski)

Assim, Dory, Nemo e seus amigos certamente são grandes artistas das telinhas, mas não são bichos de estimação. A melhor forma de encontrar Dory é viajar até os belos locais onde ela vive ou, mais fácil ainda, assistir aos filmes estrelados por ela e tantos outros animais coloridos. Afinal, filme bom a gente assiste sempre!

Matéria publicada em 24.08.2016

COMENTÁRIOS

Envie um comentário

Ivan Sazima e Roberta Bonaldo

CONTEÚDO RELACIONADO

Um mergulho com os peixes

Acompanhe o final da aventura de Rex, Diná e Zíper e suas descobertas no fundo do mar.

Rex, Diná e Zíper em…

Um lanchinho para os peixes. É correto alimentar esses animais na natureza?