Soneca submarina

Depois de um dia cheio de brincadeiras e atividades, nada melhor do que uma boa noite de sono, não é mesmo? Mas, como os animais marinhos, como peixes e golfinhos, fazem para descansar? Será que eles dormem também?

O peixe-coelho <i>Siganus corallinus</i> acordado durante o dia (à esquerda), e à noite (direita), quando dorme. Veja como ele se modifica ao relaxar para dormir. (fotos: João Paulo Krajewski)

O peixe-coelho Siganus corallinus acordado durante o dia (à esquerda), e à noite (direita), quando dorme. Veja como ele se modifica ao relaxar para dormir. (fotos: João Paulo Krajewski)

A grande maioria dos bichos precisa sim de um bom descanso de tempos em tempos. Porém, o jeito que eles encontram para descansar varia bastante entre as muitas espécies de animais do planeta. O maior desafio na natureza é que, enquanto descansam, os animais ficam menos atentos aos predadores. Por isso, é preciso escolher muito bem quando e como dormir. No mar, com a chegada da noite, muitos peixes se escondem em abrigos, geralmente cavernas e buracos nos corais e esponjas, onde ficam seguros. Alguns peixes, inclusive, mudam de cor quando anoitece, tornando-se mais camuflados com o ambiente.

O motivo de tanto cuidado na hora de dormir é que muitos predadores saem para caçar à noite, como algumas espécies de tubarões e moreias. Assim, não dá para se arriscar e dormir em qualquer lugar, caso contrário o animal poder virar um lanchinho noturno!

Dentes pontiagudos e corpo de serpente: as moreias, como essa <i>Gymnothorax vicinus</i>, estão entre os principais predadores noturnos dos animais marinhos. (foto: João Paulo Krajewski)

Dentes pontiagudos e corpo de serpente: as moreias, como essa Gymnothorax vicinus, estão entre os principais predadores noturnos dos animais marinhos. (foto: João Paulo Krajewski)

Uma das formas mais curiosas de dormir entre os animais marinhos é a de algumas espécies de budião (peixe da família Labridae). Quando a noite cai, eles fabricam uma espécie de bolha de muco, chamada de casulo. Essa bolha envolve todo o peixe, que passa a noite dentro dela. Alguns cientistas acreditam que ela seja uma proteção contra predadores guiados pelo olfato, como moreias, pois isola o peixe e dificulta que ele seja encontrado pelo cheiro. Além disso, o casulo ajuda a proteger os budiões de pequenos parasitas que atacam os peixes durante a noite, assim como os pernilongos fazem com os humanos.

O budião-banana (<i>Scarus zelindae</i>) dorme em seu casulo de muco. (foto: João Paulo Krajewski)

O budião-banana (Scarus zelindae) dorme em seu casulo de muco. (foto: João Paulo Krajewski)

Porém, nem todos os animais marinhos dormem à noite. Assim como algumas corujas e morcegos, há peixes com hábitos noturnos. Alguns desses animais se reúnem em grandes cardumes durante o dia, onde ficam parados, descansando, até o cair da noite, quando voltam a nadar ativamente à procura de comida. Outros peixes noturnos descansam protegidos dentro de tocas e grutas durante o dia, deixando seus esconderijos ao entardecer.

Um cardume do peixe noturno papudinha (<i>Pempheris schomburgkii</i>) em Fernando de Noronha. Reunião para o descanso durante o dia! (foto: João Paulo Krajewski)

Um cardume do peixe noturno papudinha (Pempheris schomburgkii) em Fernando de Noronha. Reunião para o descanso durante o dia! (foto: João Paulo Krajewski)

Há outros animais marinhos que precisam vir à superfície de tempos em tempos para respirarem, caso contrário se afogariam. Esse é o caso das tartarugas-marinhas, golfinhos e baleias que, assim como nós, respiram por pulmões. Por esse motivo, mesmo quando dormem, eles continuam nadando até a superfície, onde respiram, para depois voltarem ao fundo do mar. Golfinhos e baleias, por exemplo, podem dormir parados ou até mesmo nadando, mas em uma velocidade mais baixa do que quando acordados, e sempre alternando entre a superfície e o fundo do mar. Isso acontece porque apenas metade do cérebro desses animais descansa durante o sono, enquanto a outra se mantém em alerta. Acredita?!

Os golfinhos, como os da espécie rotador (<i>Stenella longirostris</i>) descansam apenas metade do cérebro enquanto dormem. A outra metade permanece alerta e garante que eles nadem à superfície para respirar mesmo durante o sono. (foto: João Paulo Krajewski)

Os golfinhos, como os da espécie rotador (Stenella longirostris) descansam apenas metade do cérebro enquanto dormem. A outra metade permanece alerta e garante que eles nadem à superfície para respirar mesmo durante o sono. (foto: João Paulo Krajewski)

No seco ou no molhado, de dia ou à noite, parado ou nadando: cada um encontra seu jeito de ter seu merecido soninho. Afinal, dormir é bom até embaixo d’água!

Matéria publicada em 25.11.2016

COMENTÁRIOS

  • ZEQUINHA

    NAO INFORMA O QUE FOI PEDIDO !!!! MAS É UMA BOA REPORTAGEM !!!!!!

    Publicado em 31 de janeiro de 2022 Responder

Envie um comentário

Roberta Bonaldo

Amo o mar! Meu trabalho é procurar histórias curiosas desse fantástico universo.

CONTEÚDO RELACIONADO

Parque Nacional de Itatiaia

A primeira área de preservação ambiental do Brasil

Pequenos notáveis

Conheça os peixes criptobênticos!

Open chat