Os golfinhos de Noronha

Uma ideia para quem gosta muito de nadar: imagina passar a vida toda nadando em meio ao oceano, sem avistar terra firme durante a maior parte do tempo. Bateu um cansaço? Pois é assim que vivem muitos animais oceânicos, ou seja, aqueles que não vivem junto a praias, mangues ou ilhas, mas vagando em mar aberto durante a maior parte da vida. Esse é o caso de inúmeros peixes, tubarões e baleias, entre outros animais marinhos.

Um dos animais oceânicos mais carismáticos é o golfinho rotador (Stenella longirostris), uma espécie de golfinho conhecida por fazer acrobacias fantásticas ao saltar fora da água. Só para você ter uma ideia, esses golfinhos são capazes de girar mais de cinco vezes em torno de seu corpo durante um único salto! Não é à toa que esses rodopios sejam responsáveis pelo nome popular da espécie (rotador).

As incríveis acrobacias dos golfinhos rotadores (<i>Stenella longirostris</i>) ao saltar da água dão o nome popular da espécie. (foto: João Paulo Krajewski)

As incríveis acrobacias dos golfinhos rotadores (Stenella longirostris) ao saltar da água dão o nome popular da espécie. (foto: João Paulo Krajewski)

Apesar de os golfinhos rotadores serem uma espécie oceânica, um conjunto de ilhas é visitado quase todos os dias por esses golfinhos. E, para a nossa sorte, esse lugar fica no Brasil: o arquipélago de Fernando de Noronha, considerado um dos pontos mais bonitos do país! Noronha é o lugar mais garantido para ver golfinhos rotadores no mundo. E não são poucos:  centenas e até milhares de golfinhos visitam o arquipélago praticamente todos os dias, fazendo a alegria dos moradores e dos turistas que passam pela região. Em Noronha, os golfinhos aproveitam para descansar, amamentar seus filhotes, namorar e até brincar com algas flutuantes!

A alimentação de filhotes é uma das atividades dos golfinhos rotadores em Fernando de Noronha. (foto: João Paulo Krajewski)

A alimentação de filhotes é uma das atividades dos golfinhos rotadores em Fernando de Noronha. (foto: João Paulo Krajewski)

Não se sabe ao certo o motivo de os golfinhos rotadores visitarem Noronha com tanta frequência. Porém, essa relação especial entre esses golfinhos e as ilhas merece ser respeitada, sobretudo por nós, seres humanos. Por isso, um grupo de pesquisadores se dedica a estudar a biologia e conservação da espécie em Noronha há mais de 25 anos: o Projeto Golfinho Rotador. Durante esse longo tempo, os pesquisadores fizeram uma série de descobertas. Sabe-se, por exemplo, que os golfinhos fornecem alimento a várias espécies de peixes, já que estes se alimentam de parasitas e tecido morto retirado do corpo dos golfinhos. Há também peixes que comem vômitos e fezes dos golfinhos. Que gosto!

O belo arquipélago de Fernando de Noronha, no nordeste do Brasil, é o lugar do mundo mais visitado por golfinhos rotadores. (foto: João Paulo Krajewski)

O belo arquipélago de Fernando de Noronha, no nordeste do Brasil, é o lugar do mundo mais visitado por golfinhos rotadores. (foto: João Paulo Krajewski)

Os pesquisadores do Projeto Golfinho Rotador notaram ainda que a presença humana pode incomodar os golfinhos e, por isso, vários cuidados são tomados para permitir que esses simpáticos animais continuem a desfrutar do arquipélago. Entre esses cuidados está a velocidade das embarcações, que não pode ser muito alta quando os golfinhos estão por perto. Além disso, nadar com os golfinhos é proibido, a não ser em situações muito especiais, como no caso de pesquisa, e mesmo assim com uma autorização oficial.

Um lindo lugar para um animal muito carismático. Que os golfinhos rotadores possam continuar desfrutando, por muito tempo, das águas quentes e cristalinas do arquipélago de Fernando de Noronha.

Matéria publicada em 26.05.2017

COMENTÁRIOS

Envie um comentário

Roberta Bonaldo

Amo o mar! Meu trabalho é procurar histórias curiosas desse fantástico universo.

CONTEÚDO RELACIONADO

Parque Nacional de Itatiaia

A primeira área de preservação ambiental do Brasil

Pequenos notáveis

Conheça os peixes criptobênticos!