À noite, todos os gatos são pardos?

Já pensou em como nosso cérebro entende os ditados populares?


Ilustração Marina Vasconcelos

Os ditados populares fazem parte da sabedoria do povo, estão mais ligados à literatura e à língua portuguesa. Mas será que eles também têm alguma coisa a ver com a neurociência, ciência que estuda o cérebro? Nesta coluna, que está estreando na CHC, vamos embarcar em uma aventura para descobrir como o cérebro pode estar relacionado com as frases que estão na boca do povo. O primeiro ditado é: “À noite, todos os gatos são pardos!”. Será que há explicação?

 


priscila
poliana

Priscilla Oliveira Silva Bomfim
e Poliana Capucho Sandre

Núcleo de Pesquisa, Ensino, Divulgação e Extensão em Neurociências
Departamento de Neurobiologia
Universidade Federal Fluminense

Sou uma pesquisadora apaixonada pelo cérebro e por suas múltiplas funções. Neste espaço, vamos conversar sobre a (neuro)ciência dos ditados populares, contando sempre com a participação de um(uma) convidado(a) especial.

Edição Exclusiva para Assinantes

Para acessar, faça login ou assine a Ciência Hoje das Crianças

CONTEÚDO RELACIONADO

Cateretê

Dança tradicional (domínio público)

Bala que se transforma

A ciência costuma dar nomes engraçados para as coisas. Na mistura de água com açúcar, o açúcar é chamado soluto e a água, solvente.