Onça de pelúcia???

Com apenas seis meses de vida, essa pequena onça-pintada ainda está à espera de um nome (fotos: Messias Costa/Parque Zoobotânico do Museu Paraense Emílio Goeldi).

Meninos e meninas, sou eu, Diná na área. Nem acredito que finalmente vou escrever neste blogue. Vocês não imaginam como foi difícil fazer o Rex largar o computador. Mas eu consegui e vou contar sobre esse fofíssimo filhote de onça-pintada. Não parece de brinquedo? Pois saiba que esse pequeno felino, na verdade, é o mais novo morador do Parque Zoobotânico do Museu Paraense Emílio Goeldi. Ou melhor, moradora – trata-se de uma fêmea de apenas seis meses de idade!

Ainda sem nome, a pequena onça-pintada será batizada em breve – e o que é melhor: pelos visitantes do parque paraense, em um concurso que deve ser realizado entre os dias 29 de novembro e 6 de dezembro.

Enquanto o grande dia não chega, ela recebe toda a atenção necessária do veterinário Antonio Messias Costa. “Os filhotes sempre requerem cuidados especiais, porque são propensos a doenças respiratórias e digestivas, como ocorre também com as crianças”, conta ele.

A onça-pintada vive sozinha na natureza.

O veterinário diz que é preciso evitar também que o contato com as pessoas leve a oncinha a apresentar comportamentos que não são típicos da sua espécie.

“Por isso, passamos a transferir o filhote para um recinto de exposição, onde há grandes estímulos, como uma área para tomar sol, outra para exercícios, com troncos e pedras. No início, ela ficou insegura, dependente de nós, mas, hoje, já é dona do pedaço”, explica ele.

Onças-pintadas como a do Museu Paraense Emílio Goeldi podem viver até 20 anos e pesar 135 quilos.

Nesse local de exposição é que o pequeno felino recebe as suas refeições, além de vitaminas e minerais. Duas vezes ao dia, ela se delicia com carne e pescoço de frango sem pele. Não me pareceu muito apetitoso, mas Messias disse que, até o momento, a onça-pintada não reclamou do cardápio!

Matéria publicada em 26.11.2009

COMENTÁRIOS

Envie um comentário

Padrão do site

Sou o mascote da CHC. Troquei a pré-história pelo mundo virtual para mostrar a você o lado curioso e divertido da ciência.

CONTEÚDO RELACIONADO

Grêmio Recreativo Escola de Samba Turma do Rex apresenta… A história do carnaval!

Rex, Diná e Zíper vão passar o carnaval no Rio de Janeiro e aproveitam para contar a você muitas curiosidades sobre o passado dessa festa!

Open chat