Histórias do Antigo Egito

Faraós, pirâmides, deserto, hieróglifos… O Egito Antigo é fascinante! Mas, de tudo relacionado a ele, o que é eu mais gosto são as histórias. Recentemente, Claudia Beltrão, historiadora da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro, me contou uma muito interessante, sobre a pena de Maat. Quer conhecê-la também?

No Egito Antigo, Maat era uma deusa, que representava o conceito de verdade e justiça. Quando uma pessoa morria, havia um julgamento individual: o morto comparecia – quando todos os ritos haviam sido cumpridos adequadamente, pois nem todos tinham essa oportunidade – perante Thot, um deus que tinha a função de mensageiro. Diante de Thot e do morto, era posta uma balança. Em um dos pratos da balança, era colocado o coração do morto. No outro, a pena de Maat. “Se o coração pesasse mais do que a pena, o morto era considerado indigno. Então, a possibilidade de viver a vida além-túmulo era interditada a ele”, conta Claudia. Já se o coração fosse puro, a pena de Maat pesaria mais do que o coração, e o morto, em sua parte imaterial, viveria para sempre. “A pena de Maat era algo que os vivos não viam, mas acreditavam nela, a ponto de um antigo ditado egípcio dizer: viva de tal modo que o seu coração pese menos do que a pena de Maat”, conta Claudia. Para você ver que, para os egípcios, um coração leve era sinônimo de um coração puro!

Matéria publicada em 17.11.2009

COMENTÁRIOS

Envie um comentário

Padrão do site

Sou o mascote da CHC. Troquei a pré-história pelo mundo virtual para mostrar a você o lado curioso e divertido da ciência.

CONTEÚDO RELACIONADO

Grêmio Recreativo Escola de Samba Turma do Rex apresenta… A história do carnaval!

Rex, Diná e Zíper vão passar o carnaval no Rio de Janeiro e aproveitam para contar a você muitas curiosidades sobre o passado dessa festa!

Open chat