Medindo aqui e ali

A física é uma ciência experimental, e por isso os físicos estão sempre interessados em medir coisas. Muitas vezes, o que se quer medir é algo relativamente simples, como, por exemplo, uma distância qualquer – entre duas paredes opostas de uma sala, entre a sola dos seus pés e o topo da sua cabeça (sua altura), entre a sua cidade e a cidade mais próxima, entre as antenas de uma formiga…

Em todos os casos, o que fazemos é comparar as distâncias que queremos medir com um padrão de distância que todo mundo conheça. O mais comum é o metro, mas pode ser outro também. Em países como o Canadá e os Estados Unidos, as pessoas medem distâncias também em “pés” e “polegadas” em vez de usar metros e centímetros.

Um centímetro é um metro dividido por dez duas vezes. Por isso, dizemos que o sistema métrico é um sistema de base decimal (Foto: -Merce- / Flickr / CC BY-NC-ND 2.0)

Um centímetro é um metro dividido por dez duas vezes. Por isso, dizemos que o sistema métrico é um sistema de base decimal (Foto: -Merce- / Flickr / CC BY-NC-ND 2.0)

Isso não quer dizer que as distâncias em si são diferentes: apenas estão expressas por números diferentes porque correspondem a múltiplos de uma unidade diferente. Para entender melhor: dizer que uma pessoa tem 4 pés e 9 polegadas de altura é o mesmo que dizer que ela tem 1 metro e 45 centímetros.

Tudo o que podemos medir os físicos chamam de “grandezas”. Além da distância, outra grandeza muito importante é o tempo, que não é medido em metros ou pés, pois tem uma natureza diferente. Porém, da mesma forma como estabelecemos um padrão para a distância, podemos arranjar um padrão para o tempo!

Já para medir o tempo, usamos uma divisão que não é decimal: 60 segundos formam um minuto, 60 minutos formam uma hora e 24 horas compõem um dia (Foto: Junior Silva / Flickr / CC BY-SA 2.0)

Já para medir o tempo, usamos uma divisão que não é decimal: 60 segundos formam um minuto, 60 minutos formam uma hora e 24 horas compõem um dia (Foto: Junior Silva / Flickr / CC BY-SA 2.0)

Um dia é o tempo que a Terra leva para dar uma volta em torno de si mesma. Para expressar intervalos de tempo menores que um dia, dividimos o dia em intervalos pequenos, as horas, e estas em minutos, e estes em segundos.

Existem outras grandezas mais difíceis de medir, como a rapidez com que alguma coisa se move – a velocidade. Para medi-la, precisamos de duas outras grandezas: distância e tempo. A velocidade de um carro, por exemplo, é uma medida de quanta distância o veículo percorre em certo intervalo de tempo. Por isso, a unidade de velocidade envolve tanto uma unidade de distância quanto uma unidade de tempo.

Se um carro anda 10 metros em um segundo, dizemos que ele tem uma velocidade de 10 metros por segundo. “Metros por segundo” é, então, uma unidade de velocidade. A mesma velocidade pode ser expressa em outras unidades: 36 quilômetros por hora, por exemplo, é a mesma rapidez que 10 metros por segundo (Foto: Daniel G. / Flickr / CC BY-NC-ND 2.0)

Se um carro anda 10 metros em um segundo, dizemos que ele tem uma velocidade de 10 metros por segundo. “Metros por segundo” é, então, uma unidade de velocidade. A mesma velocidade pode ser expressa em outras unidades: 36 quilômetros por hora, por exemplo, é a mesma rapidez que 10 metros por segundo (Foto: Daniel G. / Flickr / CC BY-NC-ND 2.0)

Expressar algumas grandezas e unidades como combinação de outras permite aos cientistas organizar as medições a partir de um pequeno número de unidades simples ou “de base”. Existem sete dessas unidades e todas as outras são uma combinação entre elas, como a velocidade, que combina distância e tempo.

Isso forma o “Sistema Internacional de Unidades”, ou simplesmente “SI”. Ele facilita tremendamente a comunicação não apenas entre os cientistas, mas também entre todas as pessoas do mundo quando têm que lidar com medidas de grandezas. Perceba se não é esse o caso quando você vê as horas no relógio, ou pesa as frutas no supermercado!

Matéria publicada em 18.10.2013

COMENTÁRIOS

  • Elisa Borges Rodrigues

    MUITO BOM ! ESTAS INFORMAÇÕES SÃO DE GRANDE IMPORTÂNCIA PARA NOSSA VIDA.

    Publicado em 26 de junho de 2020 Responder

    • Kezia

      Muito interessante.

      Publicado em 27 de abril de 2022 Responder

  • Larissa

    gostei

    Publicado em 22 de março de 2022 Responder

    • Praqnome

      Clbc

      Publicado em 7 de abril de 2022 Responder

  • Praqnome

    Site seguro

    Publicado em 7 de abril de 2022 Responder

  • Praqnome

    Tem virus

    Publicado em 7 de abril de 2022 Responder

  • Praqnome

    HORA DE ESTUDAR 2B

    Publicado em 7 de abril de 2022 Responder

  • thomax

    ai calica

    Publicado em 27 de abril de 2022 Responder

  • rildo o pika das galaxias

    poderia n ter

    Publicado em 29 de abril de 2022 Responder

  • rildo

    a isabela é legal

    Publicado em 29 de abril de 2022 Responder

  • Ed awards

    Segue lá @gabtmz_ manda msg lá e fala que viu por aq

    Publicado em 8 de junho de 2022 Responder

Responder Cancelar resposta

Beto Pimentel

O autor da coluna A aventura da física é apaixonado por essa ciência desde garoto. Hoje, curte também dar aulas e fazer atividades criativas em contato com a natureza e com as outras pessoas.

CONTEÚDO RELACIONADO

Parque Nacional de Itatiaia

A primeira área de preservação ambiental do Brasil

Pequenos notáveis

Conheça os peixes criptobênticos!

Open chat