Você já ouviu falar do Bendegó?

Você já ouviu falar de meteoritos? Eles são os principais corpos celestes que os cientistas têm para estudar o Sistema Solar. Eles se chocam com freqüência contra a superfície do nosso planeta, mas nem todos são encontrados. Muitas pessoas que têm a chance de ver a queda de um meteorito nem imaginam o que seja aquela luz que vem descendo do céu. Tem gente que até confunde com disco voador! E você, saberia reconhecer um meteorito se o visse da sua janela?

Quando um corpo celeste atravessa nossa atmosfera e entra em contato com os gases que a formam, ele vira uma bola de fogo muito brilhante que deixa no céu um rastro de luz. Os cientistas chamam esse fenômeno luminoso de meteoro ou estrela cadente. Se esse mesmo corpo celeste conseguir chegar até a superfície da Terra sem ser totalmente destruído pelo calor, então ele receberá o nome de meteorito. A queda de um meteorito produz um grande barulho, como o de uma trovoada, só que mais forte.

Quando um meteorito é encontrado, os cientistas estudam sua cor, formato e composição química para descobrir novas informações sobre o universo. Depois, ele é levado para um museu, onde todos nós podemos apreciá-lo. Ao todo, 39 meteoritos já foram achados no Brasil. O mais famoso deles é o Bendegó, que é o 11º maior meteorito conhecido no mundo. Ele foi encontrado no interior da Bahia em 1784. Imagine só que, quando os moradores da região o viram pela primeira vez, pensaram que tinham achado uma mina de prata valiosa!…

O Bendegó mede 2,15 metros de comprimento e pesa 5360 quilos!

O governador Bahia, ao saber da descoberta daquela ’pedra’ estranha, ordenou que ela fosse levada para Salvador. No entanto, naquela época, não existiam carros grandes, caminhões ou guindastes. Os transportes mais comuns eram as carroças puxadas por bois, mas elas eram muito fraquinhas para sustentar um meteorito que pesava 5360 quilos – o mesmo que um elefante indiano! O máximo que o governador conseguiu carregar para Salvador foram pedacinhos do Bendegó, que ele mandou para serem examinados em Portugal.

Mais de cem anos se passaram até que, em 1887, D. Pedro II decidiu que levaria o meteorito para o Rio de Janeiro, então a capital do Brasil. Uma carroça de bois foi construída especialmente para agüentar o peso do Bendegó. Ela tinha quatro rodas de madeira, mas nos trechos mais esburacados do caminho, essas rodas eram substituídas por outras de ferro. Mesmo com todos esses cuidados, o meteorito caiu sete vezes da carroça e deu muito trabalho aos engenheiros responsáveis pelo transporte. Depois de 126 dias de viagem, o Bendegó chegou à estação de Jacurici. De lá, ele partiu de trem para Salvador e, depois, de barco até a capital. Hoje, o Bendegó está exposto no Museu Nacional, no Rio de Janeiro. Você pode visitá-lo sempre que quiser!

Matéria publicada em 15.03.2001

COMENTÁRIOS

Envie um comentário

Andressa-Camargo

CONTEÚDO RELACIONADO

Um mergulho com os peixes

Acompanhe o final da aventura de Rex, Diná e Zíper e suas descobertas no fundo do mar.

Rex, Diná e Zíper em…

Um lanchinho para os peixes. É correto alimentar esses animais na natureza?