Viu a raposa-do-campo por aí?

Nos vastos campos do Cerrado brasileiro, mora a Pseudalopex vetulus. Quem? A raposa-do-campo, ora! Com aproximadamente 60 centímetros de comprimento e entre dois e quatro quilos de peso, essa espécie, encontrada apenas no Brasil, tem como prato preferido os cupins, embora também coma frutos, aves e pequenos roedores.

Você não conhece esse animal? Saiba, então, que até os biólogos estão começando a estudá-lo melhor apenas agora. Para você ter uma ideia, a raposa-do-campo é uma das sete espécies menos estudadas do mundo na família dos cães, lobos e raposas. Para mudar isso, um time de pesquisadores tem vasculhado fazendas nos municípios de Araguari, em Minas Gerais, e Cumari, em Goiás, em busca desses bichos!

A raposa-do-campo é encontrada apenas no Brasil (foto: Fernanda C. de Azevedo).

Siga as pistas!

À noite, biólogos saem a campo, com holofotes, à procura das raposinhas. De dia, eles buscam rastros e tocas desses animais. No local onde raposas ou pistas são localizadas, eles instalam armadilhas e quando o bicho passa ali novamente… Vupt!  A porta se fecha e o animal é capturado!

Quando o dia nasce, é hora de ver quantas raposas caíram nas armadilhas. Primeiramente, veterinários como Nucharin Songsasen e Joares May Júnior anestesiam as raposinhas para que os biólogos possam estudá-las. Em seguida, elas são pesadas, medidas e têm a saúde avaliada. Sangue e urina são coletados e carrapatos, retirados para estudo. “Assim descobrimos se as raposas estão doentes e, dependendo da doença, se tiveram contato com espécies domésticas ou não”, explica o biólogo Frederico Lemos, que, junto com a também bióloga Fernanda de Azevedo, coordena esse trabalho, parte do projeto Ecologia e conservação da raposa-do-campo no Cerrado brasileiro.

Raposa-do-campo capturada em Goiás é examinada (Foto: Frederico G. Lemos).

Mas não é só. As raposas também ganham coleiras que emitem ondas de rádio. “Esse equipamento nos permite acompanhar os bichos mais de perto. E nos fornece dados que nos ajudam a determinar o tamanho da área onde os animais vivem e a estudar o seu comportamento”, conta Frederico Lemos.

Pais zelosos

Desde abril de 2008, já foram encontradas seis raposas-do-campo e sete cachorros-do-mato, animais que também habitam a região pesquisada. Cinco raposas e um cachorro-do-mato ganharam o colar especial e são monitorados semanalmente.

Em outubro e dezembro, novas buscas serão feitas. A expectativa é obter mais informações sobre as raposas-do-campo. Segundo Frederico Lemos, uma descoberta sobre os cuidados com os filhotes deve ser divulgada em breve. “O papel que o macho desempenha nesta função é mais ativo do que se imaginava”, adianta ele.

Uma raposa-do-campo com a coleira especial que transmite informações importantes aos pesquisadores (foto: Frederico G. Lemos).

Matéria publicada em 09.11.2009

COMENTÁRIOS

  • João Gabriel

    Uma raposa do campo com a com uma raposa do copo com a colher especial que traz uma raposa com a colher especial que transmite informações importantes para pesquisadores

    Publicado em 20 de agosto de 2021 Responder

Envie um comentário

Camilla-Muniz

CONTEÚDO RELACIONADO

Um mergulho com os peixes

Acompanhe o final da aventura de Rex, Diná e Zíper e suas descobertas no fundo do mar.

Rex, Diná e Zíper em…

Um lanchinho para os peixes. É correto alimentar esses animais na natureza?

Open chat