Vida e trabalho no gelo

Imagine ficar acampado por cerca de 20 dias em um lugar onde as temperaturas chegam a dez graus negativos no verão. Parece difícil? Então, pense que você, além de dormir em barracas, terá de se contentar em descansar usando sacos de dormir sem nenhum aquecimento! Pois essa é a rotina de pesquisadores que estão na Antártica para estudar pinguins e skuas, aves marinhas da região.

Pesquisadores do projeto capturam pinguim para coleta de dados. A análise das penas da ave determina o seu índice de contaminação (foto: Wagner Fischer).

“No acampamento, chegamos a ficar dez dias sem a chance de tomar banho – ou alguém vai se arriscar a entrar na água geladinha da Baia do Almirantado por alguns segundos?”, conta a bióloga Erli Schneider Costa. “O jeito é usar lenços umedecidos, desses de bebê, para se limpar.”

Confira no vídeo como é o dia a dia de trabalho na Antártica

Os pesquisadores ainda enfrentam condições meteorológicas extremas. “Podemos acordar com sol e sem nenhum vento e, cerca de duas horas depois, o tempo pode virar, com neve e ventos de mais de 120 quilômetros por hora”, conta Erli. “Aqui o senhor é o clima e respeitá-lo é o único remédio.”

O mau tempo faz com que, por vezes, os pesquisadores fiquem até cinco dias sem trabalhar, isolados em áreas distantes por causa do vento que impede que eles se movimentem a pé ou com seus botes.

A pesquisadora Erli Costa.(Foto André Belem)

Mas sempre dá para matar a saudade dos amigos e parentes. Quando não estão acampados, os cientistas têm telefone e internet na base brasileira de pesquisa, a Estação Antártica Comandante Ferraz, localizada em pleno continente gelado. E ainda é possível fazer novos amigos dos mais variados países, pois há outras bases espalhadas pela Antártica com pesquisadores estrangeiros. “O convívio diário com os outros cientistas é tão rico e diverso que pouco sobra tempo para pensar em ter saudade”, conta Erli.

Matéria publicada em 02.05.2011

COMENTÁRIOS

  • Caio Sebba de Souza Vega

    Atenção, a minha casa foi invadida por 👽, esse foi o primeiro lugar que concegí avisar,Zoei!😁

    Publicado em 7 de julho de 2020 Responder

    • Gui4ano

      Não o seu

      Publicado em 7 de julho de 2020 Responder

    • Gui4ano

      Ainda bem que não foi o meu apartamento que foi invádido apesar de ser no mesmo condomînio 😎🤪👽

      Publicado em 7 de julho de 2020 Responder

  • Gui4ano

    Legal o texto

    Publicado em 7 de julho de 2020 Responder

  • Gui4ano

    Eai já foi abdusido que bom que não por que aliens não existem

    Publicado em 7 de julho de 2020 Responder

  • Bento4ano

    Amei o texto ele é muito bom 😍😍😘🥰

    Publicado em 9 de julho de 2020 Responder

  • sofia ramia

    bem legal o texto

    Publicado em 14 de julho de 2020 Responder

  • Beatriz4ano

    Eu adorei! Queria ir também!

    Publicado em 14 de julho de 2020 Responder

  • banana123

    gostei

    Publicado em 14 de julho de 2020 Responder

    • HELENA SEABRA

      AMEI O TEXTO E O VIDEO QUE LEGAL.

      Publicado em 14 de julho de 2020 Responder

      • manuela veloni castro

        verdade

        Publicado em 10 de agosto de 2020

  • coelho321

    adorei o texto

    Publicado em 14 de julho de 2020 Responder

  • Luisa Roma

    muito legal o texto 👍👍

    Publicado em 14 de julho de 2020 Responder

  • manuela veloni castro

    caio vc n era nerd e fica falando isso no texto

    Publicado em 10 de agosto de 2020 Responder

  • manuela veloni castro

    eu achei super legal o texto muito corajosos

    Publicado em 10 de agosto de 2020 Responder

Envie um comentário

Sofia Moutinho

Curiosidade é meu lema! Desde pequena busco respostas para as perguntas mais intrigantes. Melhor que estar por dentro da ciência, só compartilhar com vocês esse conhecimento!

CONTEÚDO RELACIONADO

Um mergulho com os peixes

Acompanhe o final da aventura de Rex, Diná e Zíper e suas descobertas no fundo do mar.

Rex, Diná e Zíper em…

Um lanchinho para os peixes. É correto alimentar esses animais na natureza?

Open chat