Um mundo nas cavernas

O Brasil tem muitas cavernas, a maioria localizada em Goiás, na Bahia e em Minas Gerais, regiões que há cerca de 600 milhões de anos eram cobertas por um mar raso. Há vários tipos de cavernas formadas a partir de rochas calcárias, pois o mar que cobria o interior do Brasil era cheio de sedimentos ricos em cálcio. Com o passar dos séculos, o mar sumiu e os sedimentos, que tinham se depositado e endurecido no fundo, se transformaram em rochas, sobretudo calcárias.

Interior da Toca da Boa Vista (BA), a maior caverna brasileira

Aos poucos, a lenta movimentação da Terra provocou pequenas rachaduras nas rochas. Como a água da chuva se torna ácida ao passar pela atmosfera e pelo solo, ela penetrou nas rachaduras, dissolveu a rocha e produziu buracos cada vez mais largos e fundos, formando salões, túneis e abismos.

Esses espaços, que levaram milênios para serem escavados pela chuva nas rochas, formaram as cavernas. A água da chuva também esculpiu, dentro das grutas, belos e curiosos cristais conhecidos como estalactites — quando caem do teto como cortinas — ou estalagmites — quando crescem a partir do chão.

A ciência que estuda as cavernas é a espeleologia. No Brasil, a maior caverna de que se tem notícia é a Toca da Boa Vista, na Bahia. Estudos já mapearam nela 36 quilômetros de galerias labirínticas, o que a coloca na lista das 40 maiores do mundo! Mas falta ainda explorar centenas de galerias, que devem colocar a Toca da Boa Vista entre as dez maiores do mundo.

Como o ambiente das cavernas é escuro e úmido, a vida lá dentro é bem diferente. Não há plantas, por exemplo. Mas bichos — como grilos, centopéias, besouros e aranhas — adoram viver lá. Alimentam-se de galhos e folhas trazidos pelas águas dos rios. Após várias gerações nas cavernas, os bichos desenvolvem antenas para facilitar a busca de alimentos no escuro. Alguns nem têm olhos e são completamente brancos, não podendo sobreviver em ambientes com luz.

O mais famoso habitante desse mundo subterrâneo é o morcego. Vive pendurado — de cabeça para baixo, é claro — no teto de salões e galerias e sai da caverna para comer frutas e insetos. Assim, a cadeia alimentar desse ambiente começa do lado de fora: o cocô dos morcegos alimenta centopéias e grilos, que são devorados pelas aranhas. Viu? A vida nas cavernas também depende das florestas e dos rios da superfície.

As cavernas podem guardar preciosidades históricas. Ossos de animais que desapareceram há uns dez mil anos — como a preguiça e o tatu gigantes e o tigre-dente-de-sabre — podem estar misturados à terra da caverna, tendo sido carregados pela água. Há ainda vestígios de homens pré-históricos, que usavam as cavernas como abrigo, morada e templo, e às vezes deixavam figuras gravadas nas paredes.

Apesar dessa riqueza, a extração de calcário para a indústria de cimento tem provocado a destruição de muitas cavernas. É preciso selecionar e preservar as mais importantes, conservando esses ambientes frágeis e interessantes que trazem tanta informação sobre o passado. Afinal, nossas cavernas constituem não só um patrimônio natural, mas também um precioso patrimônio histórico!

 

Matéria publicada em 22.09.1992

COMENTÁRIOS

  • Anna Elise

    Que legal, eu não sabia disso, foi bom ter lido!

    Publicado em 31 de março de 2019 Responder

    • Viviane Gabriele

      Meu nome é Viviane eu achei incrível as cavernas muito bonito pelas cavernas

      Publicado em 16 de maio de 2022 Responder

  • Mateus

    Adorei!

    Publicado em 29 de junho de 2020 Responder

  • FABIANA PARISE LEITE GOMEZ

    Professora Fabiana Parise e alunos do 3º A – Instituto Madre Mazzarello
    Olá CHC! Tudo bem?
    Achamos muito interessante a matéria, principalmente a parte que fala sobre o preguiça, tatu e tigre-dente-de-sabre.
    Adoramos o site, pois conseguimos ler várias coisas importantes.
    Muito obrigado!
    Um grande abraço dos alunos do 3º A e Professora Fabiana

    Publicado em 3 de julho de 2020 Responder

  • Lucas Gbriel

    oi chc eu adorei o mundo das cavernas muito obrigado Lucas.

    Publicado em 8 de julho de 2020 Responder

  • Iris Bravim Cardoso Caldas

    A vida nas cavernas também depende das florestas e dos rios da superfície .
    Nossas cavernas constituem não só um patrimônio, mas também um precioso patrimônio histórico.

    Publicado em 8 de julho de 2020 Responder

  • Maria Luisa de Almeida Silva

    Achei muito interessante.Isso mostra que é muito importante preservar o meio ambiente , as plantas e os animais.

    Publicado em 8 de julho de 2020 Responder

  • Roberto Sampaio Rangel Leão

    Muito bicho nas cavernas. Informações muito importantes, a vida nas cavernas.
    Não sabia que existiam muitas cavernas no Brasil..
    Gostei de saber das curiosidades das cavernas.

    Publicado em 8 de julho de 2020 Responder

  • Miguel Fagundes Soares

    Oque mais me chamou a atenção foi o fato de que:a agua da chava se torna ácida ao passar pela atimosfera e pelo solo,ela penetra nas rachaduras,dissolve a rocha e produz buracos cada vez mais largos e fundos,formando salões,túneis e abismo.

    Publicado em 8 de julho de 2020 Responder

  • Ana Luísa Brágio

    Gostei de saber que no Brasil existem tantas cavernas, e que as águas das chuvas formam salões e cristais.

    Publicado em 8 de julho de 2020 Responder

  • Ana Luísa Brágio

    Gostei de saber que no Brasil existem tantas cavernas, e que as águas das chuvas formam salões e cristais. Pena que não existe plantas. Mas os animais conseguem se manter vivos.

    Publicado em 8 de julho de 2020 Responder

  • Itallo Miguel de Souza Cândido

    Fui muito legal descobrir tantas coisas sobre as cavernas, mas a que eu gostei mais de saber foi como as cavernas foram feitas,

    Publicado em 8 de julho de 2020 Responder

  • Ana Júlia Araujo Soares

    Olá CHC tudo bem?
    Me chamo Ana Júlia 3°B do Instituto madre mazzarello.
    Eu adorei a história o mundo das cavernas, porque lá fala das cavernas, dos animais que moram lá e principalmente dos morcegos e gostei muito de saber do passado das cavernas e obtive muitas informações.
    Muito obrigado!
    Atenciosamente
    Ana Júlia Beijos e um Grande abraço.

    Publicado em 13 de julho de 2020 Responder

  • Heloisa Morales Carcaioli

    É bem legal saber que a água pode esculpir cavernas tão grandes ao longos de muitos anos. E que temos várias delas em nosso país.

    Publicado em 14 de julho de 2020 Responder

  • Murilo Pessotti Santos

    Gostei da parte que fala que alguns bichos que vivem nas cavernas não enxergam. Que alguns não tem olhos e são completamente brancos, não podendo viver em ambiente com luz.

    Publicado em 14 de julho de 2020 Responder

  • Enzo Batista dos Santos

    nossa muito interessante a vida nas cavernas eu não sabia de nada disso eu sou criança eu tenho 7 anos

    Publicado em 28 de julho de 2020 Responder

  • Enzo Batista dos Santos

    eu só não gostei que o cocô do morcego é comido por a centopeias e grilos isso é nojento

    Publicado em 28 de julho de 2020 Responder

  • Anna

    Super interessante , gostei muito de conhecer mais sobre as cavernas e esses animais .

    Publicado em 19 de agosto de 2020 Responder

  • Davi Bastos Fernandes

    Eu achei legal alimentação dos animais e de conhece-los melhor.

    Publicado em 20 de agosto de 2020 Responder

  • mamacão

    aeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeee

    Publicado em 29 de novembro de 2021 Responder

  • oooooooooooooooooooooooooooooooooo

    oooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooo

    Publicado em 29 de novembro de 2021 Responder

  • mamacão

    dr jh slbs

    Publicado em 29 de novembro de 2021 Responder

Envie um comentário

Flavio-Chaimovich

CONTEÚDO RELACIONADO

Um mergulho com os peixes

Acompanhe o final da aventura de Rex, Diná e Zíper e suas descobertas no fundo do mar.

Rex, Diná e Zíper em…

Um lanchinho para os peixes. É correto alimentar esses animais na natureza?

Open chat