Tem ciência no picadeiro!

Atenção, respeitável público! Ocupem seus lugares porque o espetáculo já vai começar! Os equilibristas e bailarinos têm a honra de ceder seus lugares no picadeiro a uma nova estrela: a física. Isso mesmo! É ela quem brilha no Circo da Física, um projeto criado por estudantes da Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC-Minas), que ensina os princípios dessa ciência às crianças de uma forma atraente e divertida!

O Circo da Física mostra como se aprende ciência de forma descontraída. Na foto, uma apresentação no Colégio São Bento, em Belo Horizonte. (Foto: Depto. de Física e Química - PUC-Minas / Karen Grondona)

O Circo da Física vai de escola em escola apresentando experimentos que viram uma alegre brincadeira. Os responsáveis pelas apresentações são os alunos da Faculdade de Física, que levam os materiais necessários para a realização dos experimentos até o local escolhido e recebem as pessoas brincando. Dos experimentos simples aos mais complexos, todos se divertem e saem ganhando: os apresentadores e o público sempre aprendem coisas novas!

Entre as brincadeiras preferidas da platéia, está a que usa as antenas parabólicas. Nela, duas antenas são posicionadas a cerca de 10 metros de distância uma da outra e as crianças conseguem conversar entre si se falarem com a cabeça próxima ao foco (veja na figura ao lado) e voltada para o centro de sua antena. Tudo graças à reflexão das ondas sonoras!

Parece complicado, mas não é. Talvez você não saiba, mas o som nada mais é do que uma onda. Durante o experimento do Circo da Física, quando uma criança fala, emite ondas sonoras que seguem do foco em direção à sua antena parabólicas. Ao chegar ali, essas ondas são refletidas em direção à outra antena. Quando finalmente chegam lá, são refletidas novamente e se direcionam ao foco dessa parabólica, concentrando e aumentando a percepção do som.

Com o experimento apelidado de ’cochichódromo’, as crianças aprendem com antenas parabólicas como funciona a reflexão das ondas sonoras. (Foto: Depto. de Física e Química - PUC-Minas / Márcio Pessoa)

Ao lado das antenas parabólicas, outro experimento que faz sucesso é a boate com sombras coloridas. Dançando em frente a um anteparo — que pode ser uma parede, por exemplo –, os alunos geram sombras, descobrem quais são as cores primárias e como misturá-las para criar novas cores!

“Mas o Circo da Física vai além das exposições”, conta Letícia Myrrha, uma das coordenadoras do projeto. “Depois da visita às escolas, muitas crianças enviam cartas de agradecimento e perguntas sobre temas relacionados à ciência.” Os organizadores respondem a todas as dúvidas!

As apresentações são gratuitas e, para agendar uma visita à sua escola, basta ligar para o Departamento de Física e Química da PUC-Minas. O telefone é: (31) 3319-4176. Por enquanto, o Circo da Física se apresenta apenas em Belo Horizonte e cidades vizinhas, mas a equipe pretende expandir em breve essa área.

Bom, era isso… O quê? Ficou morrendo de curiosidade para saber direitinho como são essas brincadeiras? Tudo bem! Para ter uma pequena amostra do que acontece no Circo da Física, clique aqui e conheça um experimento que você pode fazer na sua casa!

Matéria publicada em 05.10.2004

COMENTÁRIOS

Envie um comentário

Catarina Chagas

Desde criança gosto de ler, inventar histórias e descobrir novidades. Cresci e encontrei um trabalho em que posso fazer tudo isso.

CONTEÚDO RELACIONADO

Um mergulho com os peixes

Acompanhe o final da aventura de Rex, Diná e Zíper e suas descobertas no fundo do mar.

Rex, Diná e Zíper em…

Um lanchinho para os peixes. É correto alimentar esses animais na natureza?

Open chat