Sons de arrepiar

Unhas arranham o quadro-negro, um garfo raspa o fundo da panela, um giz se arrasta na superfície da lousa. Ai, para! Só de imaginar essas situações e os sons irritantes que elas produzem, muita gente já sente arrepios na espinha! Mas por que nos incomodamos tanto com esses ruídos?

Unhas no quadro-negro

Pesquisadores tentam descobrir por que sons como o de unhas arranhando o quadro-negro nos causam aflição (Foto: Sharon Drummond / Flickr / CC BY-NC-SA 2.0)

Essa pergunta curiosa motivou pesquisadores da Universidade de Newcastle, na Inglaterra, e do Centro Welcome Trust de Neuroimagem, nos Estados Unidos, a investigar o cérebro de pessoas em busca de uma resposta.

Eles reuniram 13 voluntários para um teste de arrepiar: os participantes tiveram que ouvir uma seleção de 78 sons considerados desagradáveis enquanto tinham seus cérebros monitorados por uma máquina de ressonância magnética. A lista de barulhos incluía os clássicos citados no início desse texto e ainda choros de animais e assobios.

Depois do experimento, os pesquisadores analisaram a atividade do cérebro das pessoas e perceberam algo estranho. Eles viram que existia uma comunicação entre a região do cérebro responsável pela audição, o córtex auditivo, e a região ligada ao controle das emoções, a amígdala.

Nessa conversa entre as duas regiões cerebrais, a área responsável pelas emoções mandava a parte do cérebro que processa o que ouvimos perceber com mais intensidade os sons que são para nós irritantes. Isso mesmo, ouvimos mais “alto” o que nos irrita! Argh!

Os pesquisadores ainda não sabem por que nosso cérebro nos prega essa peça, mas têm uma desconfiança. O líder do estudo, o neurocientista Sukhbinder Kumar, da Universidade de Newcastle, acredita que esta é uma forma de o nosso cérebro proteger nosso aparelho auditivo. Isso porque os sons que consideramos desagradáveis têm frequência entre 2000 e 5000 hertz – muito acima da voz humana, que fica em torno 200 hertz. Por serem tão agudos, eles podem danificar as células do nosso ouvido.

Se você achou interessante, saiba que a pesquisa não serve apenas para saciar nossa curiosidade. O estudo pode ajudar na compreensão de certos distúrbios da audição. “Algumas desordens, como o zumbido no ouvido e a encefálica, deixam as pessoas supersensitivas aos sons, elas não aguentam ouvir barulhos”, diz Sukhbinder. “Nossa pesquisa pode trazer pistas para entender esse problema.”

Confira os sons votados como mais irritantes pelos voluntários da pesquisa:

1.Faca arranha garrafa:

2.Garfo no vidro:

3.Giz no quadro-negro:

4.Régua na garrafa:

5.Unhas no quadro-negro:

Matéria publicada em 31.10.2012

COMENTÁRIOS

  • Nathyele da Silva Pereira

    Realmente os sons influenciam muito na nossa cabeça, principalmente quando são repetitivos, barulhentos e altos.
    Gerando assim uma poluição sonora mental. Podendo ocasionar irritação, diminuição auditiva, dores intensas de cabeça, nauseas etc.

    Publicado em 6 de setembro de 2021 Responder

  • Emerson

    Nada demais

    Publicado em 1 de novembro de 2021 Responder

Envie um comentário

Sofia Moutinho

Curiosidade é meu lema! Desde pequena busco respostas para as perguntas mais intrigantes. Melhor que estar por dentro da ciência, só compartilhar com vocês esse conhecimento!

CONTEÚDO RELACIONADO

Um mergulho com os peixes

Acompanhe o final da aventura de Rex, Diná e Zíper e suas descobertas no fundo do mar.

Rex, Diná e Zíper em…

Um lanchinho para os peixes. É correto alimentar esses animais na natureza?

Open chat