Saúde na balança

(Ilustração: Marcello Araújo)

Acabamos de sair de uma época festas – aposto que você também curtiu as ceias de Natal e Ano Novo, cheias de pratos gostosos e daquelas sobremesas que só a vovó sabe fazer. Agora, ainda de férias, talvez você esteja tomando mais sorvetes, comendo mais biscoitos e bebendo mais refrigerantes que o normal.

É claro que essas coisas são uma delícia, mas, em excesso, podem se transformar em um problemão. Quem come muito, e come mal, corre o risco de engordar, engordar e até de desenvolver uma doença chamada obesidade. Prejuízo certo para a saúde!

Por muito tempo, as pessoas acreditaram que uma criança gorda tinha mais saúde que uma magra. Assim, pais e avós julgavam que uma pessoa bem alimentada tinha de ser bastante rechonchuda. Até hoje, algumas pessoas acreditam nisso. Mas saiba que nem sempre quem come mais é mais saudável…

O alimento tem duas funções no organismo: fornecer substâncias essenciais e fornecer energia. Exemplos de substâncias essenciais são proteínas, algumas gorduras, vitaminas e sais minerais – como o corpo humano não fabrica alguns componentes dessas substâncias, elas têm de vir do alimento. Além disso, aquilo que comemos fornece a energia para todas as funções do nosso organismo: enxergar, escutar, manter os órgãos funcionando…

Se comemos a mesma quantidade de energia que gastamos em nossas atividades diárias, mantemos o peso constante. Mas, se comermos mais do que gastamos, essa energia em excesso se acumula na forma de gordura. Aí é que começa o perigo.

Apesar de importante para os animais e seres humanos, a gordura pode trazer vários problemas quando se acumula de forma exagerada. A obesidade (excesso de gordura no corpo) favorece o aparecimento de doenças como diabetes (excesso de açúcar no sangue) e hipertensão (aumento da pressão arterial) em jovens. E isso ninguém deseja.

Mas sabe quais são as causas que contribuem para que você (ou aquele amigo da escola) fique obeso? Há duas explicações para isso. Sobre uma já falamos: o exagero de refrigerantes, doces ou biscoitos – quando, na verdade, o ideal é comer mais frutas e verduras.

A segunda causa para a obesidade é a falta de exercícios. Então, aproveite as férias para praticar esportes, brincar de pique, pular corda, apostar corrida… E, claro, guarde este hábito para a vida inteira!

(Este texto é uma reedição do artigo publicado na CHC 204.)

Matéria publicada em 01.01.2013

COMENTÁRIOS

  • Anna Elise

    Com certeza vou seguir essas dicas!

    Publicado em 18 de Maio de 2019 Responder

Envie um comentário

Enio-Cardillo-Vieira

CONTEÚDO RELACIONADO

Um mergulho com os peixes

Acompanhe o final da aventura de Rex, Diná e Zíper e suas descobertas no fundo do mar.

Rex, Diná e Zíper em…

Um lanchinho para os peixes. É correto alimentar esses animais na natureza?