Santos-Dumont, o homem que queria ter asas

À esquerda, o primeiro vôo de Santos-Dumont em um balão dirigível. À direita, o inventor após pousar com seu balão esférico.

O homem não é passarinho, mas sempre quis voar. E sabe quem realizou esse desejo? Um brasileiro muito inteligente: Alberto Santos-Dumont. Há quase 100 anos ele fez um avião levantar vôo pela primeira vez: o 14-Bis! Por isso, o Museu do Ar e do Espaço, na França, inaugura em junho a maior exposição já realizada sobre esse inventor.

A mostra J’ai navigué dans l´air ( Naveguei pelo ar, em português) antecipa as comemorações do centenário do vôo do 14-Bis, celebrado em 2006, e é parte da programação que o nosso país preparou para apresentar nas cidades francesas em 2005, o Ano do Brasil na França.

O objetivo da exposição é contar a trajetória de Santos-Dumont, que nasceu em 1873, em Cabangu, Minas Gerais e, aos 19 anos, foi morar em Paris. Ao chegar à cidade, esse mineiro viu, pela primeira vez, pessoas voando em balões. E logo fez o seu! Mas não se deu por satisfeito: como não queria só voar ao sabor do vento, mas ir aonde quisesse, começou a construir um balão dirigível, ou seja, que pudesse pilotar.

No alto, o primeiro protótipo do 14-Bis. Embaixo, o modelo definitivo puxado por um carro. Outras vezes ele chegou a ser puxado até por um burro!

Na primeira tentativa, Santos-Dumont colocou em um balão comprido um motor de automóvel e um leme, como o de um barco, para guiar. O balão, chamado Dirigível n o 1 ficou muito bonito, levantou vôo e… caiu. Mas Santos-Dumont não desistiu. Rapidamente botou de pé o Dirigível n o 2, que… também caiu. Só com um terceiro dirigível o brasileiro conseguiu realizar seu desejo de voar em um balão que pudesse controlar! Então, quis fazer um balão que desse a volta na Torre Eiffel. E não é que conseguiu?! Com essa invenção, ganhou o prêmio Deutsche, muito importante na aviação. E depois dividiu o prêmio com seus empregados!

Os erros e pequenos acidentes de percurso de Santos-Dumont, claro, vão estar registrados na exposição sobre o inventor, que será apresentada na França. Inúmeras imagens das inusitadas descidas estarão em exposição, sendo que algumas até mostram a bicicleta que o inventor levava junto ao balão para voltar mais depressa quando caísse!

Depois dos balões, no entanto, Santos-Dumont começou a querer criar uma máquina que voasse mesmo sendo mais pesada que o ar. Por isso, pensou em construir um avião com asas e rabo na frente, para ajudar a levantar vôo. E conseguiu! O famoso 14-Bis decolou pela primeira vez no dia 23 de outubro de 1906. De madeira e pano, ele parecia voar para trás. Mas o brasileiro não parou por aí. Em 1907, construiu um outro avião, o Demoiselle , e, em 1909, lançou o Demoiselle novo . Esse ultraleve, que foi o primeiro avião produzido em larga escala, também estará em exposição na França.

Mas se você pensa que somente as criações desse inventor eram encantadoras… Está enganado. O próprio brasileiro também era muito especial. “Santos-Dumont era inteligente, criativo e generoso”, conta Henrique Lins de Barros, pesquisador do Centro Brasileiro de Pesquisas Físicas. “Ele trabalhou muito para realizar suas invenções e, sempre que criava alguma coisa, divulgava para que outros cientistas pudessem conhecer e discutir. Além disso, doou todos os seus prêmios.”

Santos Dumont com seu nº19

Como mostra a exposição que será exibida na França, Santos-Dumont também teve influência em outras áreas, além da aviação. Ele lançou moda, por exemplo. Afinal, para que o inventor pudesse verificar o tempo sem ter de usar um relógio de bolso, comum na época ele criou o relógio de pulso! E tem mais: a palavra hangar, usada para indicar o local onde são guardados os aviões, foi inventada por esse brasileiro. Empregada em todo o mundo até hoje, ela não tem tradução! E o evento francês trará muitas fotos do hangar de Santos-Dumont.

A essa altura, aposto como você está louco para pegar um avião e voar para a França só para conferir essa mostra. Mas, calma: não é necessário! Em 2006, ela será exibida no Brasil como parte das comemorações nacionais pelo centenário do vôo do 14-Bis . Então, prepare-se para decolar na história de Santos-Dumont no ano que vem!

Matéria publicada em 10.05.2005

COMENTÁRIOS

  • Anna Elise

    Nossa, que legal, nem sabia que Santos Dumont tinha inventado o relógio de pulso!

    Publicado em 1 de setembro de 2018 Responder

  • Felipe Vilella

    Emocionante linda história

    Publicado em 6 de julho de 2021 Responder

Envie um comentário

Clara Meirelles

CONTEÚDO RELACIONADO

Um mergulho com os peixes

Acompanhe o final da aventura de Rex, Diná e Zíper e suas descobertas no fundo do mar.

Rex, Diná e Zíper em…

Um lanchinho para os peixes. É correto alimentar esses animais na natureza?

Open chat