Relógios para todos os tempos

Da esquerda para a direita: um relógio com um único ponteiro, outro com display virtual e um relógio alemão que fala.

Atualmente, quase todo mundo pode ter um relógio. Mas, no passado, não era bem assim. Além de caros, há cerca de 300 anos, eles eram feitos por artesãos e levavam muito tempo para ficarem prontos. Hoje, existem várias marcas e modelos que você pode escolher. Mas, se quiser conferir alguns dos mais antigos, precisa ir ao Museu do Relógio. Lá você encontra verdadeiras raridades vindas de várias regiões do mundo.

Grandes, pequenos, funcionando ou parados, há diversos relógios em exposição, que estão ali graças ao trabalho do professor Dimas de Melo Pimenta. Ele viajou o Brasil e o mundo para reunir os objetos: de cada lugar que conhecia, trazia uma nova peça para sua coleção. Tantas que, em 1975, fundou o Museu do Relógio. Mas, em 2001, o lugar teve de fechar suas portas, para passar por obras e mudanças. Agora, em 2005, reabriu, com mais de 600 relógios!

Entre eles, há vários que merecem destaque. O mais antigo relógio do museu, por exemplo, é um exemplar de bolso, fabricado entre 1620 e 1630, na Alemanha. Na época, ele era usado como uma algibeira, uma espécie de bolsa bem pequena que pode ser presa na cintura. A peça tem um único ponteiro que marca apenas as horas: os minutos eram calculados pelos próprios usuários.

Outro relógio interessante e muito antigo em exposição no museu, além de marcar as horas, também fala. A peça é equipada com um gramofone – um aparelho que, no início do século 20, era feito para tocar músicas e funcionava como um alto-falante. Ele é do tamanho de uma tela de computador e foi criado em 1912, também na Alemanha.

Além das antiguidades, o museu apresenta relógios bem modernos. Um deles é digital e apresenta um display – aquela parte que mostra as horas – virtual. Para ver que horas são, a pessoa acompanha no visor os desenhos que se formam, parecidos com aqueles que aparecem em algumas telas de descanso dos computadores.

O Museu do Relógio foi o primeiro totalmente dedicado a esses acessórios a ser criado na América Latina, como conta Edson Moura, curador do local: “Além das 600 peças que já existem, este ano, mais 100 serão somadas à coleção”. Então, não perca tempo: faça uma visita e passe algumas horas no Museu do Relógio!

Museu do Relógio
Localizado na fábrica de relógios Dimep, o museu fica na Avenida Mofareej 840, Vila Leopoldina, São Paulo/SP. De segunda a sexta, das 9h às 11h e das 14h às 17h. Tel.: (11) 3646-4000.Grátis!

Matéria publicada em 01.06.2005

COMENTÁRIOS

  • Ana Laura

    Não gostei.

    Publicado em 3 de setembro de 2021 Responder

Envie um comentário

Cathia Abreu

Adoro aprender coisas novas. Tenho a sorte de trabalhar me divertindo e fazendo descobertas todos os dias.

CONTEÚDO RELACIONADO

Um mergulho com os peixes

Acompanhe o final da aventura de Rex, Diná e Zíper e suas descobertas no fundo do mar.

Rex, Diná e Zíper em…

Um lanchinho para os peixes. É correto alimentar esses animais na natureza?

Open chat