Prepare-se para o eclipse lunar!

Será Marte, o planeta vermelho? Nada disso! Essa foto retrata a Lua no eclipse total de 9/12/1992, o mais escuro da década! (foto: Fred Espenak/MrEclipse.com)

Você que costuma dormir cedo tem um bom motivo para segurar o sono na noite da quinta-feira, 15 de maio: é que teremos então um belo eclipse total da Lua! Isso significa que o Sol, a Terra e a Lua estarão alinhados, de forma que o nosso satélite passe inteiramente pela sombra feita pela Terra. Com isso, a Lua deve adquirir um tom avermelhado para quem estiver observando. Estamos com sorte: será possível presenciar o eclipse total de todo o território brasileiro! A América do Sul e Central, além de uma porção considerável da América do Norte e uma pequena fatia da África ocidental também verão o fenômeno integralmente.

Quem quiser observar o eclipse deve ficar de olho nos horários: ele começa às 23:03 (hora de Brasília) da quinta e deve durar pouco mais que três horas. A observação será mais fascinante no horário entre 00:14 e 01:07 (já na sexta-feira), quando o eclipse será de fato total, ou seja, a Lua estará inteiramente coberta pela sombra da Terra, que impedirá que qualquer raio de Sol atinja diretamente a superfície do nosso satélite. Em seguida, o eclipse parcial segue até as 02:17 da sexta.

Embora eclipses lunares totais ocorram com relativa freqüência, este é o primeiro que pode ser observado de todo o Brasil neste século — o último havia sido em janeiro de 2000. Quem perder não deve ficar muito triste: em 9 de novembro teremos outro eclipse total da Lua que poderá ser observado do Brasil. Um novo eclipse total em maio de 2004 já não poderá ser visto dos céus brasileiros, mas em outubro desse mesmo ano voltaremos a ver a Lua avermelhada alinhada com a Terra e o Sol.

Como seria a visão do eclipse de 15 de maio por alguém que estivesse na Lua? Nesse caso, o Sol é que seria encoberto pela Terra, como mostra essa animação da Nasa, feita por Francis Reddy.

Essa coloração durante o eclipse total é provocada pela luz do Sol refletida pela atmosfera terrestre antes de atingir a Lua. “Se não houvesse atmosfera na Terra, em eclipses totais a Lua ficaria completamente escurecida”, garante Fred Espenak, pesquisador especialista em eclipses da agência espacial norte-americana (Nasa). Em cada eclipse total a Lua apresenta uma tonalidade diferente, em função da quantidade de poeira e cinzas de vulcões presentes na atmosfera.

Ao contrário dos eclipses solares, que podem ser nocivos à visão se não forem observados com cuidados especiais, não é preciso qualquer tipo de proteção para acompanhar um eclipse lunar total. É possível observar a olho nu, embora o uso de binóculos possa realçar a coloração vermelha da Lua. “No entanto, não é recomendável observar a Lua cheia por muito tempo com binóculos ou lunetas, para evitar a irritação dos olhos”, adverte o astrônomo Marcomede Rangel, do Observatório Nacional.

Quem estiver no Rio de Janeiro pode acompanhar o eclipse no Planetário da cidade, onde haverá telescópios para a observação e astrônomos para orientar o público. O site da instituição também transmite o fenômeno em tempo real.

Tomou nota de tudo? Agora é só torcer para a Lua não ser encoberta por nuvens na hora do eclipse…

 

Matéria publicada em 13.05.2003

COMENTÁRIOS

Envie um comentário

Bernardo-Esteves

CONTEÚDO RELACIONADO

Um mergulho com os peixes

Acompanhe o final da aventura de Rex, Diná e Zíper e suas descobertas no fundo do mar.

Rex, Diná e Zíper em…

Um lanchinho para os peixes. É correto alimentar esses animais na natureza?

Open chat