Olha o passarinho!…

A foto acima, tirada na costa leste da África, foi a grande vencedora do concurso (Crédito: Doug Perrine / Concurso Fotógrafo de Vida Selvagem do Ano, organizado pelo Museu de História Natural e pela revista BBC Wildlife )

Nhac, nhac, nhac. Não há como negar: os tubarões da foto acima são mesmo sortudos. Veja como suas bocas cheias de dentes estão lotadas de peixes! E quantos mais há ao seu redor. Pudera! Na hora em que essa imagem foi registrada, eles estavam, assim como o fotógrafo havaiano Doug Perrine, no lugar certo: a cerca de um quilômetro da costa leste da África, para onde migram, anualmente, grandes cardumes de sardinhas.

Mas espere! Você pode perguntar: desde quando ficar onde estão tubarões famintos é estar no lugar correto? Bem, desde que você seja um fotógrafo adulto profissional que, tomando todos os cuidados necessários, consiga tirar uma foto sensacional que renda um prêmio e tanto, como aconteceu com o fotógrafo havaiano! Com essa fotografia dos tubarões, ele recebeu o título de “Fotógrafo de Vida Selvagem do Ano”, após participar do concurso internacional de mesmo nome!

Esta foto de uma fêmea de lobo-guará, tirada por um brasileiro, recebeu a menção "altamente elogiada". (Foto: Luiz Claudio Marigo / Concurso Fotógrafo de Vida Selvagem do Ano, organizado pelo Museu de História Natural e pela BBC Wildlife.)

Promovido pelo Museu de História Natural de Londres e também pela revista BBC Wildlife, esse concurso é aberto a fotógrafos amadores e profissionais, de todas as nacionalidades e idades, que tenham registrado momentos da vida selvagem: animais, plantas, paisagens. Nele, nem mesmo as crianças ficam de fora!
Enquanto os adultos competem em 12 categorias diferentes, os mais jovens são divididos em três: uma para quem tem menos de 10 anos, outra para os que estão na faixa dos 11 aos 14 anos e mais uma para adolescentes entre 15 e 17 anos. O vencedor de cada categoria júnior recebe um prêmio em dinheiro e ainda concorre com os demais campeões pelo título de “Jovem Fotógrafo de Vida Selvagem do Ano”!

Esta foto de cascavéis obteve o segundo lugar na categoria até 10 anos. (Crédito: Nicholas Cancalosi Dean / Concurso Fotógrafo de Vida Selvagem do Ano, organizado pelo Museu de História Natural e pela revista BBC Wildlife.)

O americano Nicholas Cancalosi Dean, por exemplo, concorreu com a foto ao lado na categoria dedicada aos menores de 10 anos. Ficou em segundo lugar! Ele fotografou esse monte de cascáveis em uma floresta na Pensilvânia acompanhado por seu pai. “Durante dias, nós as observamos e as fotografamos”, conta ele. Como as cascáveis são venenosas, o menino ficou atento: foi muito cuidadoso, permaneceu a uma distância segura, usou proteção nas pernas e ainda pegou emprestado as lentes de zoom do seu pai, que lhe permitiram fazer as fotos mesmo longe das cobras!

Para ganhar a categoria de 11 a 14 anos, no entanto, Fergus Gill, do Reino Unido, clicou simplesmente… o céu! Ele registrou o fenômeno conhecido como aurora boreal, um clarão com formas e cores variadas que pode ser observado no céu das regiões próximas ao pólo Norte. “Era novembro e estava muito frio, mas eu fiquei na companhia de meu pai por quase três horas e tentei tirar quatro ou cinco boas fotografias”, conta Fergus. “Esta foi a mais dramática.”

A aurora boreal retratada acima valeu ao fotógrafo o prêmio na categoria 11-14 anos. (Foto: Fergus Gill / Concurso Fotógrafo de Vida Selvagem do Ano, organizado pelo Museu de História Natural e pela revista BBC Wildlife.)

 

No próximo ano, acontece mais uma edição do concurso Fotógrafo de Vida Selvagem do Ano. Então, por que você não participa, mandando algumas fotos? Chame alguém que saiba inglês para lhe ajudar a se inscrever no site do concurso até o dia 4 de abril de 2005 e coloque o Brasil na disputa entre as crianças. Porque, entre os adultos, o nosso país já participa e… ganha destaque!

Duvida? Pois a foto de uma fêmea de lobo-guará ao lado, feita no Parque Nacional da Serra da Canastra pelo brasileiro Luiz Cláudio Marigo, ganhou o título de altamente elogiada, na categoria dedicada a imagens registradas entre o pôr e o nascer do sol. Ela serve como um incentivo para você perceber que há vida selvagem no nosso país e que ela pode render uma foto memorável ou… premiada!

E o prêmio de foto mais engraçada vai para…
Não, não: essa categoria não existe no concurso. Mas, se fizesse parte dele, com certeza já teria sido vencedora: essa fotografia é de uma família de pingüins clicada pelo sueco Lars-Olof Johansson na Península Antártica. Dá só uma olhada! O fotógrafo chegou perto dessa fêmea, que estava regurgitando peixe e crustáceos para os seus filhotes, e, como todos o ignoraram, decidiu fotografar a intimidade da família. De repente, no entanto, um filhote se mexeu à beça, como estivesse sentido algo incômodo, até levantar o bumbum do chão. Para fazer logo o quê, veja só!

(foto: Lars-Olof Johansson / Concurso Fotógrafo de Vida Selvagem do Ano, organizado pelo Museu de História Natural e pela revista BBC Wildlife)

Matéria publicada em 06.12.2004

COMENTÁRIOS

Envie um comentário

Mara Figueira

CONTEÚDO RELACIONADO

Um mergulho com os peixes

Acompanhe o final da aventura de Rex, Diná e Zíper e suas descobertas no fundo do mar.

Rex, Diná e Zíper em…

Um lanchinho para os peixes. É correto alimentar esses animais na natureza?

Open chat