Olha o passarinho!

Uma águia cortando os céus, um beija-flor em seu voo acelerado, um bem-te-vi cantando. Você já viu? Às vezes eles passam tão rápido – literalmente, voando! – que fica difícil observar esses animais em detalhes. Mas existe um jeito único e muito divertido de conhecer melhor e admirar essas beldades da natureza bem de pertinho: a fotografia de aves.

É por meio dessa arte que o fotógrafo João Quental, professor da Escola Parque, no Rio de Janeiro, se apaixona todos os dias por esses animais, há 15 anos. “Além das cores vivas, o que mais admiro nas aves é o jeito como voam – algo simplesmente fantástico e que adoro registrar”, conta.

Comum na mata de altitude, a saíra-douradinha passeia por aí em pequenos bandos de aves. Esta foi clicada em Itatiaia, Rio de Janeiro. (foto: João Quental)

Comum na mata de altitude, a saíra-douradinha passeia por aí em pequenos bandos de aves. Esta foi clicada em Itatiaia, Rio de Janeiro. (foto: João Quental)

Para realizar seu trabalho, João tem que viajar bastante e já percorreu quase todos os estados do Brasil em busca de espécies exóticas e cada vez mais curiosas. “Só faltam Rondônia, Amapá e Sergipe”, registra o fotógrafo. “Em todos os outros estados, já estive fotografando aves”.

A busca pelas boas fotos requer certo conhecimento científico, pois é preciso diferenciar as espécies umas das outras. “Sempre faço um estudo prévio, buscando em livros, guias e sites as aves típicas do local onde vou fotografar”, explica João.

Suas espécies preferidas são pica-paus, gaviões e águias. “Também tenho uma paixão pelas saíras, aves brasileiras comuns em várias regiões do país e que são verdadeiras joias aladas”, revela.

[jj-ngg-jquery-slider gallery=”91″ html_id=”about-slider” width=”600″ height=”450″center=”1″ effect=”fade” pausetime=”7000″ order=”sortorder” animspeed=”400″]

Fotografe você também

Se você quiser seguir os passos de João e começar a registrar as aves que vê por aí, temos algumas dicas. A primeira: escolha com cuidado o melhor horário para a sessão de fotos.

“Fica mais fácil logo após o nascer do sol, quando as aves estão mais ativas, e também no fim da tarde, quando estão cantando e se movimentando”, indica João. “O melhor, no entanto, é bem cedinho”.

Ter uma boa câmera também ajuda. “É legal escolher uma lente que aproxime bastante, já que a maioria das aves é arisca e voa quando chegamos perto”, ressalta o fotógrafo. Uma opção são câmeras compactas chamadas superzoom, que possuem lentes bem poderosas.

Já na hora da foto, um grande desafio é conseguir imagens em foco. João dá a dica: “Mire sempre no olho da ave, atentando para a nitidez e deixando as cores bem visíveis. Além disso, seja rápido no clique, pois as aves logo saem voando por aí”.

Para terminar, a dica de ouro é ter paciência e, claro, sempre respeitar a natureza. “Nem sempre ela segue o nosso ritmo e é essencial preservá-la, prezando sempre pelo bem-estar das aves que vamos fotografar”, completa o especialista.

Se quiser se aventurar na fotografia de aves, que tal enviar para a CHC suas fotos favoritas? O endereço é [email protected].

Matéria publicada em 25.05.2015

COMENTÁRIOS

  • Anna Elise

    Acho as aves muito legais!

    Publicado em 10 de fevereiro de 2019 Responder

  • kobe

    e muito bom e eu gosto muito de aves

    Publicado em 9 de novembro de 2020 Responder

Envie um comentário

Valentina Leite

Sou apaixonada por cinema, sushi e praia. Adoro escrever, andar de bicicleta, cantar (no chuveiro) e conhecer pessoas novas! Quando pequena queria ser cientista, mas acabei escolhendo ser jornalista e agora escrevo sobre ciência.

CONTEÚDO RELACIONADO

Um mergulho com os peixes

Acompanhe o final da aventura de Rex, Diná e Zíper e suas descobertas no fundo do mar.

Rex, Diná e Zíper em…

Um lanchinho para os peixes. É correto alimentar esses animais na natureza?

Open chat