O contato dos europeus com os animais brasileiros

Feche os olhos e imagine-se no ano de 1500, chegando de caravela a uma terra completamente nova. O que você acha que iria encontrar? Mata virgem, índios e muitos animais. Você levaria um susto vendo bichos que nem imaginava que existiam, não é mesmo? Pois foi assim que se sentiu Vicente Yánez Pinzón, talvez o primeiro navegador a chegar à costa brasileira, meses antes de Pedro Álvares Cabral. As impressões do explorador espanhol sobre a fauna brasileira foram relatadas por seu companheiro de viagem Pedro Martyr. Além dele, 26 viajantes que chegaram aqui registraram suas aventuras em textos que estão reunidos no livro O Novo Éden.

O tamanduá foi considerado por um explorador "um dos animais mais galantes da América"

Imagine a cara de Pinzón ao se deparar, por exemplo, com uma mucura (’parente’ dos gambás que, como eles e os cangurus, carrega os filhotes em uma bolsa)! O bicho foi descrito como “um animal monstruoso” por Martyr e levado para a Europa, onde causou grande espanto. Afinal, os homens daquela época não conheciam muitos animais além dos citados na história da Arca de Noé.

Muitos anos depois, em 1757, o padre João Daniel redigiu um relato que mencionava vários animais. Um dos que mais o impressionaram foi o tamanduá, que ele descreveu assim: “a sua vida e sustento é caçar e comer formigas, e como estas na América são inumeráveis, nunca padece fome”. O religioso comenta ainda que o cabelo do bicho “poderia servir de espanador de sala”. Já o jacaré é descrito como “o maior lagarto do mundo, capaz de investir e intimidar o mais robusto gigante”. Há espaço nesse texto também para animais fantasiosos, lendas indígenas e contos de caçadores.

Há relatos sobre as espécies mais variadas, como aves, tartarugas, peixes… Mas adivinhe qual o único animal citado em todos os textos do livro? Uma pista: um inseto que incomoda muita gente, principalmente se fica zumbindo no nosso ouvido na hora de dormir. Ficou fácil, não é? Trata-se do mosquito, que na língua indígena é chamado carapanã.

Os relatos mais antigos descrevem bem a surpresa dos primeiros exploradores, principalmente aqueles que chegaram sem querer à costa brasileira. O contato com os índios foi fundamental para os europeus conhecerem melhor os animais e fazerem textos mais detalhados. Aliás, é possível perceber lendo o livro como a quantidade de espécies e de grupos indígenas era bem maior que nos dias de hoje…

Matéria publicada em 06.10.2000

COMENTÁRIOS

  • Faith Jackson

    Ever Had A Million Dollar Idea… But It Never “Panned Out”?

    Have you ever felt handcuffed as an entrepreneur?

    You know what I’m talking about. You get an idea for a new product or service that you’d like to sell…

    You have the idea…
    You see the vision…
    You know exactly what you need to do!
    You know how this THING will change the world…

    And then…
    You’re Stuck…

    Yeah, me too. Then I found the solution:

    http://convertmoreleads.online/the-solution

    -Faith

    500 Westover Dr #12733
    Sanford, NC 27330

    If this commercial message wasn’t relevant for you, you can update your preferences and remove yourself from future messages here: http://convertmoreleads.online/out.php?site=chc.org.br

    Publicado em 11 de junho de 2018 Responder

  • FreeClassificados.com

    Prezado(a) Administrador

    Acessamos o seu site para lhe oferecer
    Divulgação para seus produtos e serviços
    Somos um site de anúncios classificados grátis
    Faça um teste gratuitamente e veja os resultados
    Seu anúncio poderá ser encontrado no google
    Simples assim… Acesse:

    http://www.freeclassificados.com

    Você poderá se surpreender com os resultados

    Publicado em 18 de junho de 2018 Responder

Envie um comentário

Helena-Aragao

CONTEÚDO RELACIONADO

Um mergulho com os peixes

Acompanhe o final da aventura de Rex, Diná e Zíper e suas descobertas no fundo do mar.

Rex, Diná e Zíper em…

Um lanchinho para os peixes. É correto alimentar esses animais na natureza?