COMPARTILHE:

[print-button target='#areaImpressao']

Ciência Hoje das Crianças


Conteúdo do Link: http://chc.org.br/o-caso-do-ladrao-de-ovos/

O caso do ladrão de ovos

Um mistério do tempo dos dinossauros

O nome dos bichos - 27-07-2017 Pré-História Imprimir Pdf

Quando ocorre um crime, os investigadores precisam analisar todo o caso com muito cuidado. Principalmente quando ninguém viu como tudo aconteceu. Cada pista precisa ser estudada nos mínimos detalhes em busca de provas que apontem o criminoso, evitando que alguém seja culpado injustamente. Concorda? E se o caso aconteceu há milhões de anos? Acompanhe…

Em 1924, o paleontólogo Henry Osborn anunciou a descoberta de algo que parecia uma cena de crime pré-histórica. No ano anterior, foi encontrado na Mongólia o fóssil de um dinossauro que teria invadido um ninho de outra espécie para roubar os ovos. O ladrão teria sido morto pelo dono do ninho, seus restos se fossilizaram, e 80 milhões de anos depois, a “cena do crime” foi encontrada.

O crânio à esquerda – agora colado e montado – foi encontrado junto a alguns ossos em 1923 na Mongólia, sobre os ovos à direita. Por isso, o dinossauro acabou sendo chamado de “ladrão de ovos”. (fotos: American Museum of Natural History)

O crânio à esquerda – agora colado e montado – foi encontrado junto a alguns ossos em 1923 na Mongólia, sobre os ovos à direita. Por isso, o dinossauro acabou sendo chamado de “ladrão de ovos”. (fotos: American Museum of Natural History)

As características daquele esqueleto, embora mal preservado, não deixavam dúvidas de que se tratava de um tipo de dinossauro até então desconhecido, que foi chamado de Oviraptor philoceratops. Em latim, Oviraptor quer dizer nada menos que “ladrão de ovos”, enquanto philoceratops pode ser traduzido como “amante dos ceratopsídeos”. Os ceratopsídeos – nome que quer dizer “com chifre na face” – eram dinossauros herbívoros. Todos pensavam que o ninho onde o Oviraptor foi descoberto teria pertencido a um deles.

Uma reconstrução artística de um (i)Oviraptor(/i) prestes a devorar um ovo, tal como os cientistas o imaginavam no século 20. (ilustração: Felipe Elias)

Uma reconstrução artística de um (i)Oviraptor(/i) prestes a devorar um ovo, tal como os cientistas o imaginavam no século 20. (ilustração: Felipe Elias)

Mais de 70 anos depois, paleontólogos encontraram novos ovos de dinossauro na Mongólia. Só que havia um detalhe fascinante: o esqueleto de um embrião preservado ainda no ovo. Examinando com cuidado, os cientistas perceberam que eram ovos de uma espécie da mesma família do Oviraptor. Os paleontólogos examinaram de novo os ovos descobertos com o Oviraptor na década de 1920 e concluíram que deviam ser do próprio dinossauro e não de outra espécie. E isso muda tudo o que se sabia sobre o “ladrão de ovos”.

Dois fósseis de uma espécie da mesma família do (i)Oviraptor(/i), ajudaram os paleontólogos a mudar sua visão sobre o “ladrão de ovos”: os restos de um dinossauro que morreu enquanto cuidava do ninho (à esquerda) e um embrião dentro do ovo (círculo à esquerda e em detalhe à direita). (fotos: Wikimedia Commons)

Dois fósseis de uma espécie da mesma família do (i)Oviraptor(/i), ajudaram os paleontólogos a mudar sua visão sobre o “ladrão de ovos”: os restos de um dinossauro que morreu enquanto cuidava do ninho (à esquerda) e um embrião dentro do ovo (círculo à esquerda e em detalhe à direita). (fotos: Wikimedia Commons)

Os estudos mais recentes indicam que o Oviraptor não roubava ovos. Aquele fóssil descoberto em 1923 não pertencia a um dinossauro assaltante, mas a um dinossauro chocando seus próprios ovos que teria morrido após um deslizamento de terra ou uma tempestade de areia. Um fóssil exatamente assim foi achado tempos depois, reforçando essa ideia. Ou seja, o Oviraptor foi injustamente chamado de ladrão, mas, na verdade, era uma mãe (ou pai) que cuidava bem do seu ninho.

É assim que os paleontólogos imaginam os dinossauros da família do (i)Oviraptor(/i) agora: como pais cuidadosos, e não ladrões de ovos. Hoje também temos provas de que esses dinossauros possuíam penas – mas não voavam. (ilustração: Felipe Elias)

É assim que os paleontólogos imaginam os dinossauros da família do (i)Oviraptor(/i) agora: como pais cuidadosos, e não ladrões de ovos. Hoje também temos provas de que esses dinossauros possuíam penas – mas não voavam. (ilustração: Felipe Elias)

Apesar dessa descoberta, as regras de nomenclatura zoológica não permitem mudar o nome do Oviraptor. Pobre coitado, se soubesse que milhões de anos depois de ter vivido, seria acusado por todos de ladrão. Justiça seja feita. Agora, você já sabe a verdade!

Henrique Caldeira Costa, Departamento de Zoologia, UFMG
Curioso desde criança, Henrique tem um interesse especial em pesquisar a história por trás dos nomes científicos dos animais, que partilha com a gente na coluna O nome dos bichos

Comentários

Observação: Os comentários publicados abaixo foram enviados por nossos leitores e não necessariamente representam a opinião da Ciência Hoje das Crianças.

  1. FABIO RODRIGUES disse:

    GOSTOS MUITO VC TCHAU!!!!!!!!


Deixe o seu comentário!









Conteúdo Relacionado

string(31) "lightboxIframe link infografico"

Novidades

Cadastre-se para receber nossas novidades por e-mail.

Seu e-mail