Namoro complicado

Você não cai mais no papo da cegonha. Sabe que, para um filhotinho nascer, é preciso que macho e fêmea acasalem, certo? Para isso acontecer, os animais precisam se olhar, se cheirar, se ouvir… Enfim, reconhecerem que são da mesma espécie. Para alguns bichos isso é relativamente simples, para outros, o namoro pode ser raro e até bastante complicado – é o caso do panda-gigante.

O panda-gigante é um animal dócil e conhecido por todos como um dos bichos mais fofos que existem! Atualmente, vive apenas na região central da China, e o desmatamento de seu habitat vem ameaçando a espécie de extinção (Foto: J. Patrick Fisher/ Wikimedia Commons)

O panda-gigante é um animal dócil e conhecido por todos como um dos bichos mais fofos que existem! Atualmente, vive apenas na região central da China, e o desmatamento de seu habitat vem ameaçando a espécie de extinção (Foto: J. Patrick Fisher/ Wikimedia Commons)

Os mamíferos desta espécie reconhecem seus companheiros principalmente por meio de cheiros e sons. Na natureza, a tática funciona relativamente bem, mas a frequência do namoro é baixa, se comparada a de outros animais. Quando os pandas estão no zoológico, o acasalamento fica ainda mais comprometido.

“Estima-se que, na floresta, os pandas cruzem pelo menos dez vezes na vida. Já em cativeiro, de 100 machos, apenas 40 cruzariam e, de 100 fêmeas, apenas dez têm o interesse em cruzar – destas, somente três têm filhotes”, lamenta a bióloga Neuza Rejane Wille Lima, da Universidade Federal Fluminense. A baixa frequência da reprodução dos pandas-gigantes gera uma preocupação ainda maior porque a espécie está em risco de extinção.

Para evitar que esses animais sumam, muitos cientistas e jardins zoológicos no mundo inteiro tentam ajudar na reprodução dos pandas, mas a tarefa é difícil. O que falta no cativeiro é o contato direto entre os animais, para que possam reconhecer os sons e odores uns dos outros. “Quando ficam separados em jaulas e não têm esse reconhecimento, os pandas acreditam que se trata de outra espécie e nem dão bola um para o outro”, explica Rejane.

Se o cruzamento já é difícil, o nascimento de um filhote é mais ainda. “É preciso que o casal cruze durante o período fértil da fêmea, que dura apenas três dias em um ano inteiro”, conta a bióloga. Além disso, depois que o filhote nasce, a fêmea não pode ficar grávida durante um ano e meio porque estará muito ocupada cuidado dele.

Na floresta, uma fêmea de panda pode ter até dez filhotes durante a vida. Podem nascer até três filhotes de cada vez, mas a mamãe panda escolhe somente um para criar. Em cativeiro, 97% delas não chegam a ter nenhum! Estes 14 filhotes nasceram em uma reserva ambiental chinesa (Foto: Divulgação/ATP)

Na floresta, uma fêmea de panda pode ter até dez filhotes durante a vida. Podem nascer até três filhotes de cada vez, mas a mamãe panda escolhe somente um para criar. Em cativeiro, 97% delas não chegam a ter nenhum! Estes 14 filhotes nasceram em uma reserva ambiental chinesa (Foto: Divulgação/ATP)

Os especialistas observaram que colocar macho e fêmea em uma mesma gaiola ajuda a resolver o problema, mas a melhor solução é cuidar dos animais em cativeiro e, depois, soltá-los na natureza para que se reproduzam.

A estratégia é colocada em prática em alguns centros para recuperação da espécie, como a reserva ambiental de Chengdu, na China. Em setembro, 14 filhotinhos de panda-gigante nasceram por lá. Vamos torcer para que venham muitos outros!

Matéria publicada em 09.01.2014

COMENTÁRIOS

  • Dark Lady

    Adoro saber sobre os pandas hoje tenho que fazer no caderno da minha escola sobre eles adoro pesquisar no chc

    Publicado em 23 de março de 2021 Responder

Envie um comentário

Camille-Dornelles

Quando criança, gostava de fazer experimentos dentro de casa e explorar o mundo. Hoje, na CHC, me sinto brincando de cientista e trabalhando como jornalista ao mesmo tempo.

CONTEÚDO RELACIONADO

Um mergulho com os peixes

Acompanhe o final da aventura de Rex, Diná e Zíper e suas descobertas no fundo do mar.

Rex, Diná e Zíper em…

Um lanchinho para os peixes. É correto alimentar esses animais na natureza?

Open chat