Na companhia de um grande escritor pelo interior do Brasil

Nilson tem nove anos e mora em uma fazenda do interior de Minas Gerais. Acostumado a tocar o gado pelas redondezas, ele tem agora uma missão mais importante: vai conduzir uma boiada pelo sertão mineiro. Fazer o que os vaqueiros chamam de batismo de boiada, tarefa que crianças da sua idade não costumam realizar. No caminho, além dos vaqueiros, Nilson terá uma companhia muito estranha: um médico, que não gosta de ser chamado de doutor e que também é escritor, segue com ele tocando a boiada e anotando tudo o que vê. Seu nome? João Guimarães Rosa.

Para escrever duas de suas obras, os clássicos da literatura brasileira Corpo de Baile e Grande Sertão: Veredas , Guimarães Rosa atravessou, de verdade, o sertão mineiro conduzindo uma boiada de propriedade de seu primo. Junto com ele estava Nilson um menino que realmente existiu e que consta nas anotações que escritor fez em sua passagem pelo sertão. Apesar de ser muito novo, o menino estava lá, conduzindo os bois junto com os fortes vaqueiros. E como um menino de nove anos vê uma travessia como essa?

É o que conta o escritor e ilustrador Nelson Cruz, em seu livro No longe dos Gerais.
Em sua obra, com os olhos do menino Nilson, Nelson narra os caminhos pelo interior de Minas Gerais, as paradas para comer e descansar, e a misteriosa companhia do homem que anotava tudo o que via. Para Nilson, João Rosa, como o escritor era conhecido pelos vaqueiros, era uma presença misteriosa. O homem quase não comia, conversava com os bois e até sabia o nome de alguns deles. Além disso, perguntava sobre as plantas, os animais, a gente, o lugar e adorava ouvir os “causos” – histórias de assombrações que alguns contavam à beira da fogueira.

No Longe dos Gerais
Texto e ilustrações de Nelson Cruz
Editora Cosac & Naify
Tel.: (11) 321-1444
R$ 35,90

Em No longe dos Gerais, Nelson reconta o que Guimarães Rosa observou para fazer seus livros. Mais do que isso, ele narra a grande aventura e satisfação de Nilson no seu batismo de boiada e na companhia do grande escritor brasileiro. Nesta obra, um importante momento de nossa literatura pode ser visitado. Uma história cheia de riqueza e aventura, contada de maneira simples e encantadora. Descubra!

Leia também uma entrevista com o autor Nelson Cruz.

A viagem de João Rosa

João Guimarães Rosa nasceu em 27 de junho de 1908, em Cordisburgo, Minas Gerais. Menino esperto, antes de completar sete anos começou a estudar francês sozinho. Mais tarde se tornou poliglota – pessoa que fala várias línguas -, se formou em medicina e, aos 38 anos, virou escritor.

Foi em 1957 que João Guimarães Rosa partiu da Fazenda Sirga, na região de Três Marias com destino à Fazenda São Francisco, perto de Cordisburgo, Minas Gerais. Nessa travessia, o escritor, como um verdadeiro pesquisador, partiu para a observação com o intuito de compor seus livros. Curioso, anotava e perguntava sobre tudo o que via. Nascem dessa aventura duas obras importantes para a literatura brasileira, até hoje apreciadas pelo público: Corpo de Baile e Grande Sertão: Veredas.

Em 16 de novembro de 1967, Guimarães Rosa foi eleito membro da Academia Brasileira de Letras, um reconhecimento por sua valiosa contribuição para a literatura brasileira. Três dias depois faleceu, no apartamento onde morava, no Rio de Janeiro.

 

Matéria publicada em 03.05.2004

COMENTÁRIOS

Envie um comentário

Cathia Abreu

Adoro aprender coisas novas. Tenho a sorte de trabalhar me divertindo e fazendo descobertas todos os dias.

CONTEÚDO RELACIONADO

Um mergulho com os peixes

Acompanhe o final da aventura de Rex, Diná e Zíper e suas descobertas no fundo do mar.

Rex, Diná e Zíper em…

Um lanchinho para os peixes. É correto alimentar esses animais na natureza?

Open chat