Muito longe de casa

Você já ouviu falar da baleia-cinza? Esta espécie chega a medir 14 metros e pode pesar 35 toneladas! Ela habita o norte do oceano Pacífico e já viveu também ao norte do Atlântico, mas a caça na região provocou seu desaparecimento. No início deste mês, entretanto, os cientistas levaram um susto quando uma baleia-cinza apareceu sozinha no mar… Mediterrâneo! Isso mesmo: uma baleia-cinza que só vive no Pacífico, na costa oeste do Canadá e dos Estados Unidos, apareceu no litoral de Israel, a milhares de quilômetros de distância!

Baleia-cinza é fotografada na costa de Israel (foto: Aviad Scheinin/ IMMRAC).

Como isso foi possível? “O mais provável é que a baleia tenha saído do oceano Pacífico e seguido para o oceano Ártico. Dali, partiu para o Atlântico e, a seguir, rumou para o Mediterrâneo”, explica Salvatore Siciliano, especialista em baleias e golfinhos, que trabalha na Fundação Oswaldo Cruz. “Porém, se ela conseguiu fazer isso é porque atravessou lugares onde antes havia gelo. Então, provavelmente o gelo derreteu”. De acordo com essa hipótese, a mudança no clima da Terra – o aumento da temperatura do planeta e o derretimento das calotas polares que têm ocorrido nas décadas mais recentes – pode ter colaborado para que a baleia se perdesse.

A hipótese mais provável é que a baleia-cinza tenha saído do oceano Pacífico (seta branca), seguido para o oceano Ártico canadense (seta verde), chegado ao oceano Atlântico (seta preta) e, dali, alcançado o mar Mediterrâneo (em azul mais claro).

Viajante dos mares perdida

É verdade que a baleia-cinza está acostumada a viajar. Durante o verão e o outono do hemisfério norte, a espécie se alimenta na costa do Alasca. Já quando começa o inverno, procura as águas quentinhas do México, onde seus filhotes nascem. Mas Salvatore Siciliano lembra que há diferença entre um animal que está migrando e um animal perdido. “A migração é uma viagem em busca de um clima melhor, maior oferta de alimentos, lugar para se reproduzir ou para criar os filhotes. É feita em grupos, porque um animal sozinho não tem muitas chances em um novo ambiente”, explica o especialista.

Ouça o canto da baleia-cinza

De fato, a baleia-cinza, de 13 metros de comprimento, foi avistada sozinha pelo biólogo Aviad Scheinin, do Centro de Assistência e Pesquisa de Mamíferos Marinhos de Israel. Além disso, não parecia muito bem. “A baleia estava magra e enfraquecida”, contou ele, por correio eletrônico, à CHC On-line. “É pouco provável que ela sobreviva, mas temos esperanças de que isso aconteça”.

O rastro da baleia-cinza foi visto pela última vez em direção ao sul da costa de Israel. Fica a torcida para que ela reencontre seu grupo e o caminho de volta para casa!

Matéria publicada em 26.05.2010

COMENTÁRIOS

Envie um comentário

Bruna Ventura

CONTEÚDO RELACIONADO

Um mergulho com os peixes

Acompanhe o final da aventura de Rex, Diná e Zíper e suas descobertas no fundo do mar.

Rex, Diná e Zíper em…

Um lanchinho para os peixes. É correto alimentar esses animais na natureza?

Open chat