Lado a lado com o tigre-dentes-de-sabre

Esqueleto do tigre-dentes-de-sabre, um dos mais temidos predadores que existiu no planeta!

Se você gosta de pré-história, com certeza adora Os Flintstones . Então, diga lá: além do Dino, qual o outro bicho de estimação dessa família da idade da pedra? Isso mesmo: um tigre-dentes-de-sabre, que Fred trata como um gatinho!

Pois bem! Até alguns meses atrás, ao assistir a esse desenho, um cientista poderia achar a maior graça ao ver um homem da pré-história, como Fred, andando de carro, morando em uma casa de pedra, e, acima de tudo, tendo como animal de estimação um tigre-dentes-de-sabre. Afinal, esse bicho era muito feroz!

Contudo, sabe-se que esse animal viveu no mesmo período que o homem pré-histórico em algumas regiões do mundo ‐ na América do Norte e no Velho Mundo, por exemplo ‐ e agora um pesquisador acaba de descobrir que o mesmo aconteceu no Brasil! O autor da descoberta é Walter Neves, da Universidade de São Paulo. O cientista concluiu que o animal conviveu com o ser humano em território brasileiro ao analisar fósseis de um bicho desse tipo encontrado há 160 anos, em Lagoa Santa, Minas Gerais.

Até o estudo feito pelo pesquisador brasileiro ser concluído, a idéia que prevalecia era de que o tigre-dentes-de-sabre havia desaparecido no final do período geológico conhecido como Pleistoceno, há cerca de oito mil anos. No entanto, quando os fósseis do tigre-dentes-de-sabre encontrados em Lagoa Santa foram analisados, descobriu-se que esse animal tinha, na verdade, nove mil anos e viveu em um período chamado Holoceno, entre dez mil anos atrás e o presente. Nesta época, o homem primitivo já existia no Brasil, como comprovado por um esqueleto de ser humano, também encontrado em Lagoa Santa, que tinha nada mais, nada menos do que 11.000 anos: Luzia!

Luzia
No município de Pedro Leopoldo, região de Lagoa Santa, Minas Gerais, um grupo de arqueólogos brasileiros e franceses encontrou, em 1975, partes de um esqueleto humano em uma gruta chamada Lapa Vermelha IV. As informações iniciais sugeriam que o esqueleto – de uma mulher entre 20 e 25 anos de idade, Luzia – deveria ser muito antigo, mas, naquela época, não foi possível datar com precisão o material. Só a partir das pesquisas feitas pelo pesquisador Walter Neves, da Universidade de São Paulo, que Luzia teve sua idade revelada. O resultado foi surpreendente: essa mulher tinha vivido em Minas Gerais há 11.000 anos!

(Trecho adaptado da CHC 102)

Comparando a idade dos ossos do tigre e de Luzia, Walter Neves constatou que os humanos e esses animais da megafauna ‐ como são chamados os animais pré-históricos de grande porte ‐ conviveram por pelo menos 2.000 anos. E que companhia o tigre-dentes-de-sabre ( Smylodon populator ) deve ter sido para os seres humanos!
Um dos predadores mais temidos que já existiu no planeta, esse animal era um pouco maior do que o tigre atual, só que mais baixo e pesado. Para alguns pesquisadores, ele era especializado em capturar grandes preguiças, mas também gostava de outros tipos de animais. Para caçar, usava suas enormes presas em forma de sabre ‐ um tipo de arma parecida com os dentes desse tigre -, que atravessavam facilmente qualquer tipo de pele.

Já pensou viver naquela época, sair de seu abrigo e dar de cara com um desses? Haja pernas para correr!



Matéria publicada em 30.12.2004

COMENTÁRIOS

  • vitor gabriel silva ferreira

    eu gosto de pré história eu acho isso muito legal eu queria ir pra minas gerais uma vez

    Publicado em 24 de julho de 2020 Responder

Envie um comentário

Cathia Abreu

Adoro aprender coisas novas. Tenho a sorte de trabalhar me divertindo e fazendo descobertas todos os dias.

CONTEÚDO RELACIONADO

Um mergulho com os peixes

Acompanhe o final da aventura de Rex, Diná e Zíper e suas descobertas no fundo do mar.

Rex, Diná e Zíper em…

Um lanchinho para os peixes. É correto alimentar esses animais na natureza?

Open chat