Impacto profundo

A Impactor atinge o cometa e cria uma cratera, revelando o que há sob a superfície do Tempel 1.

Anote na sua agenda astronômica: no dia 12 de janeiro de 2005, tem mais uma missão da Nasa – a agência espacial americana – partindo de Cabo Canaveral, na Flórida, Estados Unidos. Seu destino não é um planeta, como Marte, nem um satélite, com a Lua. Mas, sim, um cometa: o Tempel 1! Chamada de Impacto Profundo, a missão será a primeira a explorar o interior de um corpo celeste desse tipo e tentar revelar todos os seus segredos.

A nave espacial da missão Impacto Profundo leva uma espaçonave menor, chamada Impactor, que pesa 370 quilos. No dia 4 de julho de 2005, 24 horas depois de ser lançada, a Impactor atingirá o cometa. A uma velocidade de 10,2 quilômetros por segundo, ela formará, com o impacto, uma cratera de cerca de cem metros de diâmetro e 25 metros de profundidade no corpo celeste.

A cratera, o material expelido durante a sua formação, a estrutura e composição do interior do cometa serão observados em detalhe pela nave da missão, que tem câmeras e outros equipamentos para esse fim e estará a uma distância segura de 500 quilômetros. A própria Impactor também fornecerá dados, já que possui uma câmera para enviar imagens do núcleo do cometa segundos antes da colisão.

A figura acima retrata o lançamento da Impactor pela nave espacial da missão Impacto Profundo, 24 horas antes do choque com o cometa Tempel 1 (ilustrações: Deep Impact Mission, JPL, Nasa).

O Tempel 1 foi descoberto em 1867 por Ernst Tempel. Acredita-se que cometas como ele existam desde os primórdios do Sistema Solar. Assim sendo, os resultados da missão Impacto Profundo podem levar os cientistas a entender melhor tanto a formação do Sistema Solar quanto as possíveis implicações que a colisão de algum cometa com a Terra pode trazer.

Na memória de muitas pessoas, no entanto, 4 de julho de 2005 não ficará guardado apenas como o dia em que, pela primeira vez, uma nave espacial alcançou e tocou um cometa. Ele será lembrado por elas também como a data em que seus nomes chegaram a um corpo celeste desse tipo.

Como assim? Entre maio de 2003 e janeiro de 2004, a Nasa promoveu a campanha Mande seu nome para um cometa . Resultado: mais de 560 mil nomes foram coletados por meio do site da agência espacial e, agora, vão ser gravados em um disco colocado a bordo da Impactor. No dia 4 de julho de 2005, essa espaçonave atinge o cometa Tempel 1 e, assim, todas essas centenas de milhares de nomes também!

Muita gente vai esperar com ansiedade o lançamento da missão Impacto Profundo. E agora que você sabe mais sobre ela, aposto que mal pode esperar pelos próximos acontecimentos! Afinal, quem não quer pegar carona em um cometa?

Matéria publicada em 11.01.2005

COMENTÁRIOS

  • Rafaxtron

    eu quero muito ver o que tem dentro de um cometa

    Publicado em 29 de setembro de 2021 Responder

Responder Cancelar resposta

Mara Figueira

CONTEÚDO RELACIONADO

Um mergulho com os peixes

Acompanhe o final da aventura de Rex, Diná e Zíper e suas descobertas no fundo do mar.

Rex, Diná e Zíper em…

Um lanchinho para os peixes. É correto alimentar esses animais na natureza?

Open chat