COMPARTILHE:

[print-button target='#areaImpressao']

Ciência Hoje das Crianças


Conteúdo do Link: http://chc.org.br/hospital-de-pinguins/

Hospital de pinguins

Laboratório em Santa Catarina acolhe pinguins-de-magalhães encontrados nas praias do estado e ajuda-os a se recuperarem para voltar para casa

Notícias - 24-06-2015 Bichos Imprimir Pdf

As belas praias de Santa Catarina são o local escolhido por muitas famílias para passarem as férias. Mas, de junho a outubro, o estado recebe também outro tipo de visitantes: pinguins-de-magalhães, que, em seus passeios pelos mares, podem acabar se perdendo por aqui. Este ano, 21 deles já foram encontrados e atendidos pela equipe do Laboratório de Reabilitação de Aves Marinhas da Universidade do Vale do Itajaí (Univali).

Como outras espécies, os pinguins-de-magalhães também sofrem as consequências da atividade humana nos mares. O lixo jogado nos oceanos e a pesca exagerada, entre outros fatores, estão contribuindo para a diminuição das populações deste animal. (foto: Martin St-Amant / Wikimedia Commons / (a href=https://creativecommons.org/licenses/by-sa/3.0/deed.fr)CC BY-SA 3.0(/a))

Como outras espécies, os pinguins-de-magalhães também sofrem as consequências da atividade humana nos mares. O lixo jogado nos oceanos e a pesca exagerada, entre outros fatores, estão contribuindo para a diminuição das populações deste animal. (foto: Martin St-Amant / Wikimedia Commons / (a href=https://creativecommons.org/licenses/by-sa/3.0/deed.fr)CC BY-SA 3.0(/a))

Originários da Patagônia – uma região que engloba parte da Argentina e do Chile –, os pinguins-de-magalhães nadam em bando e percorrem quilômetros em seus movimentos de migração, isto é, de mudança de um lugar para o outro. Nessa viagem, alguns animais jovens podem se afastar do grupo e acabam se perdendo do bando, sendo carregados para longe pelas correntes marítimas.

Na natureza, os pinguins-de-magalhães se alimentam principalmente de peixes como anchovas e sardinhas. Seu hábitat natural são as zonas costeiras, mas eles passam a maior parte do tempo no mar – suas asas atrofiadas são ruins para levantar voo, mas ótimas para nadar! (foto: Nasa)

Na natureza, os pinguins-de-magalhães se alimentam principalmente de peixes como anchovas e sardinhas. Seu hábitat natural são as zonas costeiras, mas eles passam a maior parte do tempo no mar – suas asas atrofiadas são ruins para levantar voo, mas ótimas para nadar! (foto: Nasa)

“Em alto mar, os pinguins podem enfrentar problemas como tempestades, mudanças bruscas de temperatura ou manchas de óleo e até lixo. Quando isso ocorre, eles acabam se perdendo e encalham nas praias”, conta a médica veterinária Adriane Steuernagel, da Univali. Ao serem resgatados, geralmente os animais estão muito debilitados. “Eles chegam cansados, desidratados e desnutridos. Alguns acabam morrendo”, lamenta a pesquisadora.

A equipe do laboratório se esforça para cuidar dos animais e ajudá-los a se recuperarem. Por isso, realiza exames para ver o estado geral do animal e saber se há ferimentos. Além disso, oferece alimento e local para descanso. “Inicialmente os pinguins recebem soro para hidratação e ficam em repouso em caixas com aquecimento”, explica Adriane. “Depois, são alimentados com uma espécie de papa de peixe – só mais tarde damos peixes inteiros, seu alimento principal”.

Ao terminarem sua temporada na Univali, os pinguins estão prontos para voltar à natureza. São encaminhados, então, a uma entidade especializada em Florianópolis, responsável por formar grupos de animais para soltura.

Alguns pinguins são contaminados por óleo despejado no oceano. Quando isso acontece, eles perdem a impermeabilidade de suas penas, característica que os protege do frio. Para tratar o problema, os animais precisam ser lavados e secados, até a retirada total do óleo. (foto: Univali)

Alguns pinguins são contaminados por óleo despejado no oceano. Quando isso acontece, eles perdem a impermeabilidade de suas penas, característica que os protege do frio. Para tratar o problema, os animais precisam ser lavados e secados, até a retirada total do óleo. (foto: Univali)

Valentina Leite, estagiária do Instituto Ciência Hoje
Sou apaixonada por cinema, sushi e praia. Adoro escrever, andar de bicicleta, cantar (no chuveiro) e conhecer pessoas novas! Quando pequena queria ser cientista, mas acabei escolhendo ser jornalista e agora escrevo sobre ciência.

Comentários

Observação: Os comentários publicados abaixo foram enviados por nossos leitores e não necessariamente representam a opinião da Ciência Hoje das Crianças.

  1. fafapad disse:

    nossa que fofo muito bonitinho queria ser ele no labolatorio nossa kkkkkkkkkkkkkkkkk adorei esse site

  2. Pietra e Gabrielly disse:

    Hospital de pinguins
    Querida chc,nos chamamos Pietra e Gabrielly , nos amamos esta materia e queriamos dar nossos parabens , porque voces estao salvando os pinguins da morte.E nos estudamos na ESCOLA ARQUIMINIO MARQUES DA SILVA , temos 10 anos e estamos no 4 ano a.
    Beijos e abraços ( ; ( ; ( ;

  3. miguel disse:

    eu adoro esse animal!!!!! mas acho não sei tudo o que ele come. minha pergunta: ele come so peixe ou tem mais no cardapio?

  4. HECTOR AMANDA E BRUNO disse:

    NOS GOSTAMOS DOS PINGUINS

  5. Jullyana Ventura disse:

    Prezado editor da revista CHC
    Sou aluna do colégio Humberto de Alencar Castelo Branco, Jesuítas-PR, e achei essa matéria muito interessante, já que aborda um assunto importante para a consciência ambiental das crianças, para que elas saibam e entendam o problema que enfrentamos hoje nos mares. Ainda é importante ressaltar que o texto foi dito de uma maneira clara, e simples, para que todos entendam.
    Atenciosamente, Jullyana

  6. Gabriela disse:

    Muito legal!!!
    Nunca tinha ouvido falar nada sobre os pinguins, e agora descobri que eles vem ara o Brasil também!!! =)

  7. vanessa ranucci disse:

    prezado editor da revista ciência hoje para crianças, eu achei esse texto muito importante e informativo, pois demonstra a preocupação de uma equipe com os pinguins, explica de onde esses animais saem e chegam até as praias. Isso é muito interessante para todos, continuem com matérias assim.

    • pedro henrique guedes drygala disse:

      Olha, esse texto é muito interessante. Eu achei muito legal pois não são todos os pinguins que recebem esse cuidado, muitos morrem. Então hospital de pinguins é maravilhoso, pois eles ajudam todos os pinguins que sofrem de dor. E é isso, achei muito legal…

  8. Luiz Eduardo Vitorino Alves e Victor Gustavo Araújo Baffa disse:

    E.E. José Mauro de Vasconcelos 5 serie D
    Luiz Eduardo e Victor Gustavo :
    O texto sobre os pinguins é muito bom , nós aprendemos mais sobre os pinguins , A historia deles são muito interessantes.
    Nos ficamos com pena dos que não sobrevivem , e dos que saem feridos.
    A ideia sobre cuidar dos pinguins por um tempo é muito boa.
    Agradecemos pelo esforço de fazer essa matéria sobre os pinguins , Muito obrigado.

  9. Merlya disse:

    Aqui onde eu moro , no fim do inverno aparecem muitos pinguins aqui. Mais quando a temperatura da agua muda e fica quente eles morrem .. E muito triste quando saimos de barco e vimos aquele mar cheio de pinguins mortos ..

  10. Amanda Cristina Bastos Nicchio disse:

    Santa Cruz Do Rio Pardo,06 de agosto de 2015.
    Bom Dia ,chc

    Eu queria voces quantinuace mandando reportagem sobre animais e tecnologia
    Boa Tarde
    Amanda cristina

  11. Jean da Silva Estanislau disse:

    Quem quer ser cientista?

    Olá, meu nome é Jean, tenho 13 anos. Queria agradecer vocês da CHC pela informação do leite contaminado, porque a muitas crianças que bebem leite. O leite é essencial para nós por causa do cálcio e muito mais. Parabéns pela informação.

    Atenciosamente, Jean da Silva Estanislau, Angra dos Reis, RJ

  12. Guilherme da Silva Rocha disse:

    Hospital de Pinguins

    Eu me chamo Guilherme da Silva Rocha, tenho 13 anos e estudo na escola Áurea Pires da Gama, estou no 7º ano. Eu achei esse texto legal e informativo. Ele também deixa as pessoas informadas sobre os animais. Ele fala sobre os passeios dos pinguins. Eu achei muito legal e apoio essa onda de recuperação de pinguins . Parabéns por esse texto. Moro em Angra dos Reis, no Estado do Rio de Janeiro.

  13. Marcelo Souza da Silva disse:

    Hospital de Pinguins

    Querida CHC, eu me chamo Marcelo Souza da Silva, tenho 12 anos e estudo na escola Áurea Pires da Gama, estou no 7º ano. Eu achei esse texto muito importante, porque ajuda os pinguins a encontrar suas casas e a ser recuperar. Eu achei muito legal e apoio esse texto de recuperação de pinguim. Parabéns por esse texto.
    Eu moro em Angra dos Reis, no Rio de Janeiro

  14. Bruno de Souza Rodriguês disse:

    Hospital de pinguins

    Gostei muito , este texto é demais!!!
    Eu me chamo Bruno, estou escrevendo essa pequena carta, pois eu me amarrei no texto, é muito legal. Essa coisa de hospital de pinguins, poxa, é sensacional! É muito maneiro! Um abraço para todos vocês.E parabéns pelo texto. Tchau!!


Deixe o seu comentário!









Conteúdo Relacionado

  • Entregues pelo voo

    Pesquisadores da Universidade de São Paulo encontram forma de descobrir a espécie de um inseto apenas pelo movimento de suas asas

    O método desenvolvido pelos pesquisadores consegue identificar a espécie do inseto com base nas suas características de voo. (Foto: nutmeg66 / Flickr / (a href=https://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/2.0)CC BY-NC-ND 2.0(/a))
  • Bola de cristal

    Conheça o experimento que ajuda a prever o futuro da vida marinha na costa brasileira

    Os recifes de coral abrigam uma grande diversidade de organismos marinhos. (foto: Projeto Coral Vivo)
  • Minha espécie, uma bandeira

    Animais e plantas emprestam suas imagens em prol da conservação da natureza

    O mico-leão-dourado é uma espécie da mata atlântica. Apesar de viver apenas no estado do Rio de Janeiro, ele virou símbolo da luta pela preservação de todo o bioma. (foto: su neko / Flickr / (a href=http://creativecommons.org/licenses/by/2.0/deed.pt)CC BY-SA 2.0(/a))
string(31) "lightboxIframe link infografico"

Novidades

Cadastre-se para receber nossas novidades por e-mail.

Seu e-mail