História falada

Figuras históricas famosas como Santos Dumont e Carlos Drummond de Andrade são facilmente reconhecidas por fotos, mas você consegue imaginar como eram suas vozes? Essa é uma tarefa um pouco mais difícil, pois várias dessas personalidades morreram antes de você nascer e nem sempre é fácil encontrar registros sonoros que permitam conhecer suas vozes.

Pensando nisso, o jornalista e museólogo Luiz Ernesto Kawall começou, há mais de 50 anos, a juntar e organizar vozes de personalidades históricas. Ao todo, ele conseguiu mais de 12 mil gravações. Uma coleção e tanto!

A vozoteca reúne mais de 12 mil gravações. O acervo está sendo catalogado para permitir futuras pesquisas (Foto: Orin Zebest / Flickr / CC BY 2.0)

A vozoteca reúne mais de 12 mil gravações. O acervo está sendo catalogado para permitir futuras pesquisas (Foto: Orin Zebest / Flickr / CC BY 2.0)

Transferido para o Instituto de Estudos Brasileiros (IEB) da Universidade de São Paulo, o acervo recebeu o nome de Vozoteca LEK – por causa das iniciais de seu criador. Em breve, as gravações serão disponibilizadas para consulta do público.

“Por enquanto, estamos limpando o material, pois a poeira é uma das nossas piores inimigas na preservação de todo e qualquer documento”, conta Elisabete Ribas, coordenadora do Arquivo do IEB, onde ficará o acervo. Em seguida, as gravações serão catalogadas para facilitar futuras pesquisas. Todo esse trabalho deve durar pelo menos seis meses.

Quando a vozoteca estiver disponível para o público, além de matar a curiosidade de muita gente, poderá ajudar em pesquisas. “Alguns exemplos de temas são a evolução tecnológica do registro do som e a história da música e cultura popular do Brasil”, explica Elisabete.

A lista com as gravações disponíveis ficará ao alcance de todos pela internet. Porém, para ouvi-las, será necessário ir até o IEB.

Instituto de Estudos Brasileiros – Universidade de São Paulo
Av. Professor Mello Morais, travessa 8 / nº 140, Cidade Universitária
São Paulo SP, CEP 05508-030
Informações: (11) 2648-0024 / [email protected] / [email protected]

Matéria publicada em 05.09.2013

COMENTÁRIOS

Envie um comentário

Fernanda Turino

Sempre fui muito curiosa, adorava brincadeiras ao ar livre e acampar (fui até escoteira!). Cresci lendo a CHC e hoje trabalho aqui.

CONTEÚDO RELACIONADO

Um mergulho com os peixes

Acompanhe o final da aventura de Rex, Diná e Zíper e suas descobertas no fundo do mar.

Rex, Diná e Zíper em…

Um lanchinho para os peixes. É correto alimentar esses animais na natureza?

Open chat