Fofos, preguiçosos e comilões

Sua aparência engana: apesar de lembrarem ursos de pelúcia, os coalas são parentes dos cangurus, gambás e outros animais conhecidos como marsupiais. Encontrados na Austrália, esses mamíferos passam o dia inteiro deitados em árvores, comendo folhas e dormindo. Que vida boa, não é? Mas acho que foi a graciosidade desses animais que levou a leitora Gabriela Pigossi a pedir à CHC que contasse mais sobre eles.

Único membro da família Phascolarctidae, o coala passa seu dia na árvore, comendo folhas de eucalipto e dormindo por até 20 horas. (foto: Mario Granberri / Flickr / <a href=https://creativecommons.org/licenses/by/2.0>CC BY 2.0</a>)

Único membro da família Phascolarctidae, o coala passa seu dia na árvore, comendo folhas de eucalipto e dormindo por até 20 horas. (foto: Mario Granberri / Flickr / CC BY 2.0)

Atualmente, existe apenas uma espécie de coalas, chamada pelos cientistas de Phascolarctus cinereus. Escondidos entre florestas de eucalipto, uma árvore típica da Austrália, os bichos passam boa parte do seu dia se alimentando. “São especialistas em comer folhas de eucalipto e se alimentam principalmente de 20 espécies dessa planta espalhadas pela região onde vivem”, conta a bióloga Maria Clara Nascimento-Costa, da Universidade Federal de Minas Gerais.

Como o eucalipto é rico em fibras e água, os coalas quase não sentem sede – a água das folhas é suficiente para se manterem hidratados. Essa característica deu origem ao seu nome: “Coala significa ‘animal que não bebe’, na língua de povos indígenas da região”, diz Maria Clara.

Agora, tampe o nariz. Outro alimento importante para os coalas é… cocô! Isso mesmo. Maria Clara explica que a água e as bactérias que estão nas fezes da mãe ajudam os filhotes a digerirem as folhas de eucalipto. Assim, à medida que o filhote deixa de beber leite, a mãe o alimenta com esse banquete bem peculiar, que o prepara para a dieta de folhas.

Além de comilões, os coalas são também muito preguiçosos. “Chegam a dormir quase 20 horas por dia”, afirma a bióloga. Mas pelo menos têm uma boa desculpa: como sua dieta é pouco nutritiva, precisam economizar energia. Por isso, dormem a maior parte do dia e são ativos por poucas horas durante a noite, quando se deslocam para mudar de árvore.

Como bons preguiçosos, os coalas evitam os confrontos e normalmente andam sozinhos. As brigas só ocorrem quando vão disputar um lugarzinho na árvore, mas são bem brandas. “Eles se comunicam por gestos e com grunhidos. Quando brigam, mordem de leve um ao outro”, conta Maria Clara.

Coalas são marsupiais, isto é, carregam o filhote em uma bolsa na barriga. Quando deixa a bolsa da mãe, o pequeno coala continua agarrado às suas costas. (foto: Kim / Flickr / <a href=https://creativecommons.org/licenses/by-sa/2.0>CC BY-SA 2.0</a>)

Coalas são marsupiais, isto é, carregam o filhote em uma bolsa na barriga. Quando deixa a bolsa da mãe, o pequeno coala continua agarrado às suas costas. (foto: Kim / Flickr / CC BY-SA 2.0)

As fêmeas de coalas têm poucos filhotes por gestação. “Cada fêmea costuma ter só um filhote, raramente dois”, diz a especialista. Quando completa nove meses, o pequeno coala deixa a bolsa da mãe, mas continua agarrado às suas costas. Com um ano, torna-se mais independente. “Eles vivem entre 10 e 14 anos, mas há registros de coalas com 18 anos na natureza”, completa a bióloga.

Os coalas possuem poucos predadores naturais – alguns exemplos são os dingos (cães selvagens australianos), cobras e aves de rapina. No entanto, os humanos já tiveram muito interesse neles. Até o início do século 20, esses bichos eram caçados por sua pele macia e quase foram extintos. Hoje, apesar de mais protegidos, os coalas são afetados pelo desmatamento das florestas de eucalipto, que ameaça o seu hábitat.

Matéria publicada em 14.09.2015

COMENTÁRIOS

  • Anna Elise

    Ohn, que fofos!Dá vontade de apertar!Pena que eles estão desaparecendo!

    Publicado em 18 de agosto de 2018 Responder

  • Livia

    muito fofos

    Publicado em 7 de agosto de 2020 Responder

    • Livia

      Icrivel noticia

      Publicado em 7 de agosto de 2020 Responder

  • v.s.n

    muito fofoooooo mais esite outro tipo de coala amo a revista e esta materia muito boa

    Publicado em 21 de setembro de 2020 Responder

  • Simone

    Muito fofos e amei o texto

    Publicado em 13 de outubro de 2020 Responder

  • MIGUEL MONTEIRO SILVA PIVA

    nossa este texto esta na minha apostila

    Publicado em 10 de novembro de 2020 Responder

  • EI BUNDA MOLE, – FALO COM MIGO? – NÃO, FALEI COM SUA MÃE -ATA

    NÃO CONSIGO RESISTIR!!!

    Publicado em 16 de novembro de 2020 Responder

  • isabella

    adorei a noticia ela é muito interessante

    Publicado em 16 de fevereiro de 2021 Responder

  • Sofia🦩

    Eu adorei o texto muito bom mas eu não consigui resistir e muito fofo eu chorei de tanta fofura quem consegue resistir eu não
    Beijos 💋
    Sofia

    Publicado em 24 de novembro de 2021 Responder

Envie um comentário

Valentina Leite

Sou apaixonada por cinema, sushi e praia. Adoro escrever, andar de bicicleta, cantar (no chuveiro) e conhecer pessoas novas! Quando pequena queria ser cientista, mas acabei escolhendo ser jornalista e agora escrevo sobre ciência.

CONTEÚDO RELACIONADO

Um mergulho com os peixes

Acompanhe o final da aventura de Rex, Diná e Zíper e suas descobertas no fundo do mar.

Rex, Diná e Zíper em…

Um lanchinho para os peixes. É correto alimentar esses animais na natureza?

Open chat